abril, 2013

Sarau do Memorial com Jorge Emil


23 abr

…. A quarta edição do ‘Sarau no Memorial’ contará com a presença do ator e poeta mineiro Jorge Emil, com participação especial do percussionista Carlinhos Ferreira.
Nascido em Caratinga (MG), Emil estreou na literatura em 2000, com a obra ‘O dia múltiplo’. Desde criança o poeta já escrevia histórias infantis e, com o tempo, amadureceu seu processo criativo, inspirado pelos modernistas Mario de Andrade e Carlos Drummond.
Jorge Emil se apresenta em 28 de abril na Casa da Ópera, em duas sessões: uma às 11h e outra às 13h. Na sequência da última apresentação, haverá uma sessão de autógrafos e o lançamento do livro ‘O olho itinerante’.
Para todas as atividades, a entrada é gratuita, sujeita à lotação do espaço. As senhas podem ser retiradas com 30 minutos de antecedência de cada atração.

Curadoria: Wagner Merije

Acidente poético


18 abr

Tá lá o poeta estendido no chão
Sem carteira assinada, sem plano de saúde
Atropelado por um ônibus que não parou
Não parou para a poesia passar
Voou livro para todo lado
Quebrou o sonho em sete partes
As vísceras de seu discurso estão à mostra
Já aglomeram muitos curiosos
Tem gente filmando no celular
Chama o Samu, 190
Parou o trânsito vira o caos
Parece que o cara tá mal
O poeta caído no chão
Ninguém chega para ajudar
Do seu bolso um poema novo escorre
Incompleto como aqueles ali olhando para ele
Tá sangrando poesia para todo lado
A policia chega com a sirene a toda
A turba aproveita para gritar
Uma senhora começa a chorar
Não é a mãe mas é a única a acodir
Ajoelha nas páginas dos livros
E abraça o poeta destroçado
O poeta ali morre não morre
Mas a poesia era aquela mulher
Corajosa com um amor na mão
Viu que o homem ali caído
Podia ser um filho dela
Filho que ela nunca tivera
Mas na EJA, depois do trabalho
Descobriu na leitura um novo processo
Onde tudo que sonha é possível
E os homens do Samu vinham com a maca
Enquanto a policia cercava o local
Os celulares registravam tudo
Corre aí
Dá oxigênio para o poeta
Que ele pode sobreviver
Vamos levar para o Pronto-Socorro
Que gente assim
Merece viver

Autor: Wagner Merije (do livro “Viagem a Minas Gerais”)

DVD Feito durante o dia


18 abr

987654321… vai partir… partiu… Takeoff…

Assim vai o release, com a luxuosa assessoria de imprensa de Baobá Comunicação, Cultura e Conteúdo:

DVD “MERIJE – FEITO DURANTE O DIA”
CHEGA AO PÚBLICO EM MAIO

Uma série de shows pelas unidades do SESC São Paulo,
Minas Gerais e Rio de Janeiro marca a apresentação
do novo trabalho do artista multimídia mineiro

Com uma agenda de apresentações Brasil afora, o compositor, performer e DJ Merije mostrará ao público o seu novo trabalho, o DVD “Merije – Feito Durante o Dia”, a partir de maio. Inicialmente, estão previstos shows nas unidades do SESC de São Paulo, Minas Gerias e Rio de Janeiro.

Conforme o artista afirma, “este DVD é uma jornada musical pelo universo suprassensorial da poesia e do som”. O trabalho contém oito musicvideos e cinco músicas ao vivo. Fãs do artista ainda são brindados, com extras – fotos das gravações e dos bastidores.

As musicvideos selecionadas são: “Sweet São Paulo”, “Peopleware”, “Deus Criou o Beat (God Created the Beat)”, “Calor”, “Coragem”, “Mil Maravilhas”, “Muito a Fazer e Descobrir”, “Sambampler” e making of de “Deus Criou o Beat (God Created the Beat)”. As faixas ao vivo escolhidas são: “Chao & Pigalle”, “Deve Ter um Jeito de te Conquistar”, “Depois Daquele Beijo”, “Mil Maravilhas” e “Vai Disparar” (gravada ao vivo no Auditório do Itaú Cultural em São Paulo.

• SOBRE O ARTISTA
Natural de Minas Gerais, Merije tem trabalhos lançados no Brasil e no exterior. Criador múltiplo em constante inquietação, atualmente toca diversos projetos multimídia e se expressa sua arte por meio da música, da literatura, do vídeo e da fotografia. Compositor, produtor, DJ, performer e militante da cultura, sua mistura de música brasileira com pop, rock, electro, latin, hip hop e trilhas de cinema pode ser ouvida e vista em várias produções, brasileiras e estrangeiras.

Em sua discografia, lançou os discos autorais “Coletivo Universal” (2004), “Peopleware” (2009), “Se Você Perder a Voz” (2011) e “Suprasensorial” (2012). Participou, ainda, das coletâneas internacionais “Smoking Brasil Deluxe” (2008, selo ST2), “New Brazilian Music” (2007, selo BM&A) e “Delicadencia” (2007, selo sambafrique), ao lado de artistas como Céu, Curumim, Cibelle, BossaCucaNova, Mundo Livre, Manu Chao, Roberto Menescal, Vanguart, Mombojó, Soul Galaktik e The Pinker Tones, para citar alguns.

Como produtor e DJ, as experimentações de Merije começaram em Londres, em plena efervescência do jungle, drum ‘n’ bass e big beats, sob a influência da cultura negra de Brixton, onde o artista morou de 1996 1997.
A primeira composição registrada em disco é de 1999, no CD “Antenando”, de Reco Bastos, com a faixa e o mix “Sin no Brasil”. De lá para cá, ele não parou mais. Tem mais de 50 músicas gravadas e mais de 100 prontas. Além disso, algumas de suas composições podem ser ouvidas no documentário “Beyond Ipanema” e nos CDs de alguns de seus parceiros, como Kiko Klaus (CD “O Vivido e o Inventado”, 2008), The Paula (CD “Ouça e Escute, 2001), Reco Bastos (CD “Antenado”, 1999), Aline Calixto, Roberta Fly e Jamphel D, entre outros, bem como em trilhas para TV e dança.

A parceria com Marku Ribas, mago do sambafusion que gravou com The Rolling Stones (recém-falecido), resultou em quatro faixas ainda inéditas em disco e no hit “Liga Lize (Para Refletir sobre a Verdade)”, lançado pelo COLETIVO UNIVERSAL, além do DVD “Toca Brasil – Itaú Cultural” (2007) e os CDs “Sambagoma” (2001) e “Passando o Som – Vol. 1″ (2000).

Com o Coletivo Universal, grupo que criou em 2003, lançou o CD “Coletivo Universal”, em 2004. Algumas das faixas desse disco e novas composições “coletivas” foram registradas ao vivo durante um show histórico em São Paulo, em setembro de 2008, e lançadas como parte da coleção de CDs e DVDs do programa “Rumos Itaú Cultural Música 2007-2009” e também em um especial da TV Cultura.

Com os mestres Raul de Souza e João Donato, Merije trabalhou na criação e produção do CD “Bossa Eterna”, homenagem aos 50 anos do ritmo, lançado pela gravadora Biscoito Fino em 2008, e no projeto “O Universo Musical de Raul de Souza” (2012, DVD-CD, selo Sesc).

A convite dos produtores Beco Dranoff e Guto Barra, Merije também participou do premiado documentário “BEYOND IPANEMA: Ondas Brasileiras na Música Global”, apresentado em mais de 30 países durante festivais de música e cinema. O filme estreou no MoMA, em Nova York, em 2009, e conquistou os prêmios de Melhor Filme no Festival Brasileiro de Vancouver e de Miami. Transformado em série de TV com 13 episódios, estreou em janeiro de 2013 no Canal Brasil. A série enfoca o processo de evolução da música brasileira no mundo, de Carmen Miranda aos dias de hoje. Reunindo nomes como David Byrne, M.I.A., Devendra Banhart e Thievery Corporation ao lado de artistas como Caetano Veloso, Criolo, Gilberto Gil, Céu e muitos outros,o documentário investiga temas variados, como o papel do culto dos LPs e das novas tecnologias na promoção da música brasileira no mundo.

A música de Merije também foi exibida pelo programa “Fantástico”, da Rede Globo, como trilha do quadro “Mago da Cozinha”, conduzido pelo chef Felipe Bronze, que surpreendia os telespectadores com uma divertida releitura de pratos típicos brasileiros a partir de técnicas da chamada culinária molecular.

Todo esse trabalho desenvolvido por Merije vem rendendo elogios da crítica e da imprensa, além de convites para apresentações no Brasil e no exterior. Seu trabalho, inclusive, ganhou destaque na Rádio UOL, MTV britânica, canal VH1 e Revista da UBC (União Brasileira de Compositores), entre outros. Ao vivo, o artista já se apresentou em grandes e pequenos palcos, em festas urbanas, raves e festivais, como o Festival Visual Brasil (Barcelona, na Espanha), Virada Paulista, Sesc Pompeia, Smoking Festival, Rumos Itaú Cultural, Eletronika, Conexão Vivo, Festa em Quadrinhos. Também é residente do projeto SambaCana Groove, criado em São Paulo, que percorre todo o Brasil desde 2004.

Na hora do show, os sets do DJ MERIJE primam pela inspiração e pela surpresa e têm a capacidade de provocar sensações diferentes no público: alegria, energia, paixão e vontade de dançar sem parar. O segredo está em seu amplo repertório e no poderoso mix de variados ritmos brasileiros (sambarock, sambaJazz, sambafunk, sambasoul, samba, maracatu, carimbó, candombe, afoxé, coco, ciranda, xote, xaxado, choro, marcha de roda e baião, entre outros), tudo embalado por beats suingados, vindos do groove da blackmuzic dos anos 70 e da eletrônica experimental.

Paralelamente, Merije está envolvido em muitos aspectos da ação cultural: é autor dos livros “Turnê do Encantamento” (2009), “Torpedos” (2012) e “Mobimento” (2012). Também é idealizador e gestor do projeto Minha Vida Mobile – MVMob, curador, jornalista e gestor cultural.

Entre os muitos prêmios que recebeu, destacam-se o “Prêmio Tim da Música Brasileira”, edição 2008, como Melhor Grupo Regional – Grupo Meninas de Sinhá, com o CD “Ta Caindo Fulo”, o “Prêmio Sesc Sated” , de “Melhor Cobertura Cultural” (2003) junto com a equipe da TV Horizonte, o Prêmio Mostra de Cinema de Tiradentes, em 2007, pelo vídeo “Mil Maravilhas”.

Não por acaso, a arte de Merije é associada a essa interatividade com as tecnologias da comunicação e é reconhecida como suprassensorial. Ao longo de sua carreira, o artista faz uso de diversas ferramentas, despertando a atenção e o interesse de jovens por educação, arte e tecnologia.

www.merije.com.br

• DISCOGRAFIA
– “Suprasensorial” – CD autoral – composição, arranjos, produção, interpretação (2012)
– “Se Você Perder a Voz” – CD autoral – composição, arranjos, produção, interpretação
– “Peopleware” – CD autoral – composição, arranjos, produção, interpretação (2009)
– “Bossa Eterna” – Biscoito Fino – com Raul de Souza, João Donato e convidados – produção (2008)
– “Smoking Brasil Deluxe” – composição, arranjos, produção, interpretação (2008)
– “O Vivido e o Inventado” – Kiko Klaus (2006) – composição (2008)
– “300 Anos da Canção Brasileira” – Mara de Aquino – produção (2007)
– “New Brazilian Music” – BM&A – composição (2007)
– “Delicadencia” – composição, interpretação (2007)
– “Meninas de Sinhá – Tá Caindo Fulô” – (Premio Tim da Musica Brasileira) – produção
– “Conexão Telemig Celular 2006” – produção (2006)
– “SIM Coletânea” – produção, composição (2006)
– “Coletivo Universal” – banda – composição, arranjos, produção, interpretação (2004)
– “Marku Ribas – Passando o som – Vol. 1” – produção, (2003)
– “The Paula – Ouça e Escute” – composição, produção (2001)
– “Reco Bastos – Antenando” – composição, arranjos, remix (1999)

• VIDEOGRAFIA
– “O Futuro é de Quem Sonha” – musicvideo – roteiro (2013)
“O Universo Musical de Raul de Souza” – direção artística – DVD-CD, Selo Sesc, 2012
– “Peopleware” – videoclipe – roteiro, direção (2011)
– “Coragem” – videoclipe – roteiro, câmera, direção (2011)
– “Sweet São Paulo” – videoclipe – roteiro, direção (2010/2011)
– “Dragão do Mar: filme-música” – mini-doc. mobile, – roteiro, câmera, direção (2011)
– “Mob Revolution” – videomobile, roteiro, câmera, direção (2010)
– “Metrópolis Ano Mil” – videomobile, roteiro, câmera, direção mobile (2010)
– “Deus Criou o Beat” – videoclipe – produção (2010)
– “Beyond Ipanema” – documentário , longa – composição musical (2009)
– “Rap Babel” – videomobile – roteiro, câmera, direção (2009)
– “Coletivo Universal ao Vivo na Paulista” – Rumos Itaú Cultural – DVD – roteiro, produção, composições, interpretação (2008-2010)
– “Marku ao Vivo” – DVD – Itaú Cultural – roteiro, produção (2008)
– “Mil Maravilhas” – videoclipe – roteiro, produção, co-direção (2005)
– “Sambampler” – videoclipe – roteiro, produção, co-direção (2005)

• BIBLIOGRAFIA
– “Torpedos” (2012)
– “Mobimento – Educação e Comunicação Mobile” (2012)
– “Turnê do Encantamento” (2009)

Baobá Comunicação, Cultura e Conteúdo
Andreia Lima | andreia@baobacomunicacao.com.br
Rua Porangaba, nº 149, Bosque da Saúde | 04136-020 – São Paulo – SP
+55 11 3482-2510 | +55 11 3482-6908
Visite nosso site

“Coragem” no Sarau da Cooperifa


11 abr

Primeira participação do poeta Wagner Merije no Sarau da Cooperifa, em São Paulo, no dia 03/04/2013, interpretando o poema “Coragem”, do livro “Turnê do Encantamento”.

Como entender a música?


10 abr

A música mexe com nossos sentidos, não é mesmo?
Partituras, instrumentos,frequência, melodia…
Como explicar aquela música que lembra a infância, ou que faz você sonhar acordado? Tem explicação?
Sobre isso pensava o pessoal do estúdio alemão Finally quando criou esta elegante animação, que tenta explicar, ou entender, o que é de fato a música.

Carranka – uma homenagem a Marku Ribas


08 abr

Carranka, barrankeiro, kurumim, aristoporindé, querubim de zambi, karijó, guerreiro de daomé, samba regué, valente maku…

Estava aqui lembrando das nossas viagens – tantas: em casa, estudando maneiras de levar seu som para mais gente; nas conversas descontraídas, viajando nos sonhos emfumaçados; nas estradas, viajando para ir encontrar novos amigos pelo Brasil; nas lembranças de suas viagens pela Paris, pelo Caribe, pela África, por aí…

Quanta coisa conquistamos enquanto trabalhamos juntos: seis CDs, um DVD, quatro filmes, muitos shows e outras cositas más! Também compomos, gravamos e fizemos shows juntos! Quanto aprendizado, troca!

Caramigo, você ganhou o papel no clipe do Mick Jagger na pura malandragem, ali na hora do teste, no Rio de Janeiro, se lembra? Você gravou com os Rolling Stones em Paris, isso não é para qualquer um não! Você participou do filme “Quatre Nuit D’une Revêur”, de Robert Bresson, c’est fantastic!

Zamba Ben, vai, arrepia essa galera! Você compôs tão incríveis canções, que provocavam turbilhão de emoções! E por isso, sua múltipla e rica música ecoa para o infinito!

Dança criolo, que esse corpo é mais que seu, é do mundo, é elástico dos bons, é personagem de tramas, é tamarreira!

Carranka, você também foi pesquisador, pensador, poeta, polemizador, amador, um super tudo!

Caramigo, vai em paz!

Você fez coisas incríveis! Você veio, fez, venceu e pode ir certo de que deixou inúmeros admiradores!

Agora, Chega de Saudade.

Nossa música vai tocar para sempre

Foto: Roberta Scatolini

Foto: Merije

Foto: Merije

Foto: Merije

Foto: Merije

Foto: Merije

Lá na Lapinha


03 abr

Lá na Lapinha, onde o vento mora
Onda a onda é minha, onde a pedra chora
Lá uma casinha, pequena, não demora
Planta sementinha, flor logo se aflora

Lá na Lapinha, outro tempo, aqui, agora
Onde eu sou teu lugar e tu é minha hora
Lá uma lá limpinha, música decora
Sanfona e sinfonia, outono e outrora

Lá na Lapinha, brisinha, bruma senhora
Solta pipa sem linha, coração monitora
Lá lâmina lisinha, linda limoflora
Belezinha que em meu peito espora

Vou pra Lapinha, a memória implora
A gente parte, mas saudade não vai embora
A lua reflete o desejo para fora
Brilha Lapinha, luz vital da aurora

—— poema do livro “Viagem a Minas Gerais”, de Wagner Merije ———

Fotos: Merije