Ecologia de Saberes – Boaventura de Sousa Santos e Wagner Merije

26 mai

Encontro histórico e memorável do poeta e escritor Wagner Merije com o sociólogo e poeta Boaventura de Sousa Santos em Coimbra (25/05/2018), por ocasião do encerramento do ciclo de Aulas Magistrais na FEUC.

Foi no Restaurante O Casarão, em Santa Clara, em momento de trocas de ideias e de livros, confidências, afagos, poesia, cantoria e boa comida.

Wagner Merije participou também do encerramento da Aula Magistral em uma intervenção artística coletiva.

Na sexta-feira, 25/05/2018, vencemos mais um desafio na união entre a arte e a academia. Pegamos o resumo de todas as aulas do Boaventura de Sousa Santos e transformamos em uma intervenção poética coletiva.

Com Carlos Guerra Junior, Wagner Merije, Deniza Machado, Aristeo, Simone Marins, Ligia Bugelli, Carlos Henrique Piedade, Emiliana Neto, Pamela

Local: Faculdade de Economia (FEUC), Universidade de Coimbra, Portugal

 

Carlos:

Acalmem-se!

Os artistas pós-abissais chegarão!

E virão todos vestidos… De narrativas… de emancipação

 

Merije:

Nós já estamos aqui, somos todos nós

Mas precisamos nos despir

Do colonialismo, do capitalismo, do hetero patriarcado

Vestir novas linguagens

Descobrir (e assumir) que podemos fazer de uma sala de aula, uma zona libertada…

 

Deniza:

Pode a sala de aula, ser uma zona libertada?

Vai misturar conhecimento científico com cultura?

Isso é mais uma loucura do Boaventura

Que acha que tudo é campo de luta contra ditadura…

 

Aristeo

Calma! Afastem-se!

Não atirem contra o otimista trágico!

Não tenham medo!

Um outro mundo é possível, sim!

O nosso medo de mudanças radicais

É que tem sido o maior alimento da globalização hegemônica

Cada espaço que não ocupamos, o neoliberalismo ocupa

Precisamos nos alimentar com mais esperança e menos medo

E criar outra globalização

 

Simone:

É, mas vamos lutar de forma articulada

Se os opressores estão todos unidos

Nada de nos fragmentar

Toda luta feminista tem que ser anti-racista e anti-capitalista

Nem as contradições de qualquer luta podem ser motivo de nos separar

As contradições são do sistema. As resistências também serão contraditórias, vamos aprender a cada dia

 

Lígia:

Vamos diminuir as fronteiras, parceira!

Nos aproximar, encontrar os pontos de congruência

Descobrir em meios as ausências, um paraíso de competências

Vamos criar transformações radicais na nossa forma de sociabilidade

Emancipar, vencer barreiras e preconceitos

Pois assim, temos espaços para criatividade e novas subjetividades

 

Carlos Henrique:

Escuta!

Conhecimento se dá na luta! Não com verdade absoluta

Vamos transformar o pobre em rei e não deixar que ninguém esteja abaixo de lei

Lula Livre!

Direito pra todo mundo: Mulheres, negros, indígenas ou gay

 

Emiliana:

Vamos.. vencer a linha abissal e o fascismo social

Vamos.. caminhar para a cidade pós-abissal

Vamos.. valorizar a criatividade local

Vamos… incluir o rap, teatro do oprimido e sarau

Vamos… descolonizar o pensamento em Portugal

 

Pamela:

Quando aumentamos nosso poder de percepção pro sensível

Aprendemos a cada dia que…

 

Todos: Um outro mundo é possível!

 

 

Texto compilado por Carlos Guerra Junior

Tags: , , , , , , , , , , , ,