Post com a tag ‘cidade em transe’

Na língua do Camões


10 out

na-lingua-do-camo%cc%83es_1

 

Apê 80 e Poesia Café apresentam

_Na Língua do Camões
literatura – música – quitutes – drinks

“Na Língua do Camões” é um projeto cujo objetivo é fomentar a produção e a pesquisa das literaturas de Língua Portuguesa.

Nesta primeira edição, compartilharemos gratuitamente o lançamento do livro “Cidade em Transe“, de Wagner Merije e o debate “Ana Cristina César, Adília Lopes e Noemia Sousa: intersecções Brasil, Portugal e Moçambique”, com Lívia Santiago, Karina Uehara e Rosileine Vítor.

Lounge – Negaton
Loja – quitutes Poesia Café + drinks Apê 80 + livros + cerâmicas Omnirá (aceitamos cartões)

_programação:
16h20 – quitutes + drinks + música
17h15 – lançamento do livro
17h45 – debate
18h45 – música
21h – último drink/encerramento

Domingo, 16/10/2016

_local: r. Peixoto Gomide, 65 – apto 80 (entre as ruas Frei Caneca e Augusta, próximo ao metrô consolação)

Cidade em transe no Memorial Minas Gerais


07 abr

capa_cidadeemtranse_merije_final_recortada

 

LANÇAMENTO DO LIVRO “CIDADE EM TRANSE”, de WAGNER MERIJE

 

DATA: QUINTA-FEIRA, 07/04/16

HORÁRIO: DAS 19h ÀS 21H30

LOCAL: CAFÉ DO MEMORIAL MINAS GERAIS

Pça da Liberdade – Belo Horizonte/MG

 

A Aquarela Brasileira Livros (www.aquarelabrasileira.com.br) convida para o lançamento em BH do livro Cidade em transe, primeiro romance de WAGNER MERIJE.

Poético, o enredo fala do viver e da “vida loka” de São Paulo do ponto de vista de uma turma de jovens artistas em meio a batalhas com a polícia e muita criação.

Segundo o rapper Emicida, com o livro “viajamos por uma ficção que poderia ser realidade (ou uma realidade que poderia ser ficção?) em um labirinto confuso de prédios, carros e batidas – policiais, de automóveis, de botecos e de rap – onde uma geração que teve como oráculo a cultura hip hop precisa acalmar o jogo e tentar re-colocar as peças em seus lugares. Entre pressões e re-pressões, o tempo é o mesmo mas parece outro, mais curto, é uma bomba prestes a estourar e tudo pode acontecer…” Para o ator e diretor Mário Bortolotto, do grupo Cemitério de Automóveis, “a cidade em transe de Wagner Merije emerge nesse livro inesperadamente como um desorientado Godzilla do Tâmisa ameaçando o equilíbrio, fazendo a trilha para o tumulto e o caos, como o primeiro tiro, a primeira bomba ou o último beijo com seus Mc´s, grafiteiros e incorrigíveis românticos que apesar de todos os revezes e batalhas inglórias, ainda não desistiram da ultrapassada idéia de que é sempre possível esperar pelo “dia depois da guerra”. Ambos assinam o Prefácio do livro.

O ENCONTRO COM O AUTOR vai ser no Café do Memorial, de forma descontraída e aprazível, e pode contar com leitura de trechos do livro por parte de convidados e do próprio escritor.

Dados do produto
Autor: Wagner Merije
Editora: Aquarela Brasileira Livros

Gênero: Romance

Formato: 14×21 cm

Número de páginas: 252

Prefácio: Emicida/Mário Bortolotto

Material: Capa dura – Papel Pólen Soft

Peso: 323 grs

ISBN: 978-85-918440-0-5

Valor: R$ 35,00

.

Confira algumas fotos:

Acompanhe essa saga em www.cidadeemtranse.com.br

 

…… SOBRE O AUTOR ……

 

Wagner Merije é poeta, escritor, jornalista, curador, gestor cultural, compositor e diretor artístico do músico Raul de Souza. Lançou os livros “Cidade em transe” (2015), “Viagem a Minas Gerais” (2013), “Torpedos” (2012), “Mobimento – Educação e Comunicação Mobile” (2012) – finalista do Prêmio Jabuti 2013 – e “Turnê do Encantamento” (2009), dentre outras publicações. Foi curador do Sarau do Memorial, em Belo Horizonte/MG, durante os anos de 2013 a 2015, apresentando mais de 50 poetas. Trabalhou para jornais, revistas, tvs e rádios no Brasil e no exterior. Tem músicas em discos, filmes, séries e programas de TV. Recebeu os prêmios Sesc Sated (2003), Prêmio Tim da Música Brasileira (2005), Rumos Itaú Cultural (2008), Inovação Educativa Fundação Telefônica – OEI (2011), Prêmio da Música Brasileira (2013)­­­­. Criou o projeto MVMob – Minha Vida Mobile. Site: www.merije.com.br

 

……… LANÇAMENTOS ………

De junho de 2015 para cá, “Cidade em Transe” já foi lançado em Paraty/RJ – OFF Flip; em Bonito/MS – 1ª Feira Literária de Bonito; São Paulo: Casa das Rosas (2 vezes), Biblioteca Mário de Andrade, Sesc Consolação, Patuscada Café e Livraria, Livraria Suburbano; Espaço Cultural Alberico Rodrigues; em Montes Claros/MG – 29º Salão Nacional de Poesia Psiu Poético; em Caxias do Sul/RS – 31ª Feira do Livro de Caxias do Sul; entre outros lugares.

 

…… OPINIÃO DOS LEITORES ……

Sintonizado com o Brasil atual, o livro tem circulado bem entre outros escritores, diretores de cinema e vem obtendo ótimas resenhas de leitores de todas as idades.

“É uma crônica atualíssima… um raio x sobre estes novos tempos.” – Rômulo Garciasartista visual, escritor

“Acho muito interessante o ponto de partida ser na Virada Cultural, Praça da Sé, show de rap, confronto com polícia, manipulação da mídia… É o que vivemos socialmente e eu gosto de uma literatura que vai nessas questões. É bem São Paulo também, seus lugares, os diferentes grupos sociais… Enfim, acho ótimo e muito oportuno. Vejo o trabalho de um artista antenado com seu tempo e espaço.” – Ricardo Ribeiroator, contador de histórias, escritor

“Cidade em transe destaca-se pelo domínio linguístico do autor, que transita com facilidade do padrão culto ao coloquial, deste aos dialetos e jargões, utilizando também linguagem tecnológica atualizada, um dos índices de modernidade do romance. Ainda no plano da linguagem encontram-se, incorporados ao corpus, verbetes que estabelecem um jogo de polifonia e intertextualidade com o tema da cidade e suas questões, tratado sob o eixo do espaço narrativo – opção complexa e interessante, na organização da obra. As personagens, algumas mais planas, outras de perfil psicológico mais aprofundado são marcantes e tendem mesmo a “roubar” a cena da cidade/espaço em certos momentos. Deve-se ainda destacar a veiculação de valores bastante positivos, principalmente quando se pensa que Cidade em transe tem potencial para atingir um público jovem, tão carente de boas palavras e exemplos.” – Marisa SimonsDoutora em Teoria Literária

“Acabo de terminar a leitura do seu livro, e não podia deixar de lhe enviar um email lhe parabenizando! UOOOOUULL!!! que livro man! Confesso que fiquei um pouco impaciente no começo, ansioso pelo apogeu da trama (pela prévia que você deu no Sarau Suburbano Convicto), estranhei um pouco os nomes dos personagens… mas no decorrer fui me familiarizando. Você descreve as cenas com excelência, tem uma linguagem poética bem peculiar, bem singular.
Cidade em Transe é um livro contemporâneo, dinâmico, emocionante, versátil. Vai do fundão de SP à rua Augusta pincelando fatos ocorridos, levantando questionamentos e criticas que são importantes serem lembradas. “A arte diz o indizível” (pág 63). Cidade em transe é uma obra de arte, e consegue diz muitas coisas, não dó diz, grita, berra, e as vezes sussurra, fala mansinho no pé do ouvido. “Quando o equilíbrio é rompido, mexe-se com as bases do civilizado.” E com certeza após a leitura de Cidade em Transe, minhas bases foram alteradas. Parabéns mais uma vez.” – Cleyton Mendes – poeta, voz da periferia de São Paulo, carteiro, estudante de Comunicação Social, filho de merendeira e pedreiro

 

……… CONTATOS COM O AUTOR, ENTREVISTAS, ENCOMENDAS ………

AQUARELA BRASILEIRA Livros

www.aquarelabrasileira.com.br

E-mail: faleaquarela@gmail.com

(11) 9 9821-1330

Morfina


04 mar

Conheço policiais que não dormem de remorso

E políticos, que para dormir, se entopem de narcóticos

Conheço muitos homens de caráter falho

Esses mesmos homens que roubam o Estado

Conheço líderes confiáveis

E tantas guerras tão intoleráveis

Desconheço homens ricos sem partido

E banqueiros que não sejam bandidos

Conheço presos que pintam bem como Dali

E jovens saltimbancos que não têm como sorrir

Conheço mães que pros seus filhos dão desprezo

E homens que matam e roubam e não são presos

Conheço a adrenalina dos mistérios

E a perplexa vaidade dos cemitérios

Conheço a solidão de quem não tem ninguém para amar

E crianças que adorariam ter alguém para abraçar

Conheço padres que pensam dedicadamente no seu povo

E muitos papas que canalhamente esbanjam muito ouro

Conheço a lua que é só boa para poucos

E tantos bruxos que se entopem de tesouros

Conheço deuses que abençoam o futuro

Conheço bem a altura desse muro

Conheço a dor que grita louca pela rua

Conheço essa raiva que também é sua

Conheço o álcool do dinheiro

E o porre dos sonhos que todo dia perco

Conheço a grave anemia da pobreza

Essa doença não é para quem mereça

Conheço garotas que merecem o meu amor

E o veneno rápido que se esconde em tanta flor

Conheço o brilho das estrelas

E outros brilhos que só trazem dor de cabeça

Conheço a inquietação de muitos negros

E tantas mulheres dignas de respeito

Respeito todas as lutas contra o preconceito

Contra sexo, cor, credo, lado, defeito

Conheço a ira que o povo guarda

E o tom da paz que me agrada

Conheço a indignação que não quer desaparecer

E os limites do limite do que posso fazer

Conheço pessoas que não dormem de remorso

E quero que essas pessoas evaporem de desgosto

Um poema de Wagner Merije

BH, 1995 + dez/2001

Publicado até agora no livro “Cidade em transe” (Aquarela Brasileira Livros)

 

030320168359

Merije falando o poema Morfina_Psiu Poético 2015

Merije falando o poema Morfina_Psiu Poético 2015

Feira Miolo(s)


08 nov

(sfoto-feira Miolo

 

 

 

 

 

Feira Miolo(s) é um encontro anual na Biblioteca Mário de Andrade que busca estimular a produção de editores e artistas contemporâneos. Também é um momento em que a principal biblioteca pública de São Paulo abre suas prateleiras para livros independentes, democratizando o acesso a publicações fora do circuito comercial tradicional e dando diversidade ao acervo.

Em 2015, além da feira de publicações, haverá um prêmio e uma programação paralela, que inclui palestras, oficinas e uma mostra.

O evento aconteceu no dia 07/11/15, das 10h às 18hs, e reuniu mais de 122 editoras independentes de várias partes do país.

Wagner Merije participou junto com a Aquarela Brasileira, expondo e vendendo livros e encontrando novos leitores.

Confira algumas fotos

Serviço:
Local:Biblioteca Mário de Andrade – R. da Consolação, 94 – Consolação, São Paulo – SP – (11) 3775-0002
Entrada franca

Segundo Sarau Suprasensorial na Casa das Rosas


05 nov

A segunda edição do Sarau Suprasensorial na Casa das Rosas foi o maior barato e contou com a participação de convidados especiais.

Foi uma noite de poesia, encontros, inspiração e rosas, enquanto lá fora a chuva trazia a São Paulo um pouco de suavidade.

O Sarau Suprasensorial é uma celebração da poesia e dos encontros de linguagens artísticas e já se apresentaram poetas, escritores, músicos, atores, artistas visuais e convidados da plateia, com o microfone sempre aberto.

A proposta é levar ao público o conceito de suprasensorialidade, que teve, entre outros precursores, o finado artista plástico Helio Oiticica.
Literatura, música, performance, cenário, projeções, cheiros, tudo é dirigido aos sentidos do indivíduo para desaliená-lo do condicionamento do cotidiano. Sensações. O público é convidado e estimulado a fazer parte do espetáculo, recitando, cantando, dançando, criando e celebrando a arte de todos.

Já realizado em vários espaços de São Paulo e Belo Horizonte, o Sarau Suprasensorial” é apresentado pelo poeta, escritor, jornalista e compositor Wagner Merije, com produção da Aquarela Brasileira.

Na ocasião houve o lançamento do livro Cidade em transe, de Wagner Merije.

Confira algumas fotos

SERVIÇO

Segunda edição na Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura (Av. Paulista, 37, São Paulo)

Data: 04/11/2015, das 19h `as 21h30

Boas ideias na Feira do Livro de Caxias do Sul


21 out

Oficina Torpedos_Caxias do Sul 2015

Caxias do Sul é uma terra de gente forte, bonita, acolhedora, de escritores e cheios de brioe qualidades, de forte comunicação com o público leitor. Graças, em parte à Feira do Livro, que este ano chegou à sua 31ª edição, ao Entrelinhas – Festival Literário e Cultural, quem em 2015 realizou sua segunda edição, ao talento natural de seu povo e a movimentação econômica cultural da segunda cidade do estado do Rio Grande do Sul.
Em lugares assim as ideias fervilham, as conspirações acontecem, a cultura tem valor na formação do povo e o molho ferve.
Para o poeta e escritor Wagner Merije, que participou pela primeira vez da Feira, foi uma oportunidade de aprendizado e compartilhamento de conhecimentos.
O lançamento do novo livro “Cidade em transe” foi um encontro com novos leitores e formadores de opinião. Merije também ministrou a oficina “Torpedos – Literatura na ponta dos dedos” para mediadoras de leituras nas bibliotecas comunitárias, uma turma animada e cheia de amor pelos livros e pelos leitores.
A programação contou ainda com shows, como o do fenomenal Borghettinho.
Viva o Brasil! Viva o povo do Rio Grande do Sul!
Que novas oportunidades de encontrar as raízes da cultura brasileira venham!!!

Confira algumas fotos

O encontro das ideias em Caxias do Sul/RS


13 out

CARTAZ FEIRA DO LIVRO 2015 copiar

A Prefeitura de Caxias do Sul, por meio do Departamento do Livro e da Leitura da Secretaria da Cultura, e a Associação dos Livreiros Caxienses (ALCA), realizam a a 31ª Feira do Livro e o 2° Entrelinhas – Festival Literário e Cultural.

De 02 a 18 de outubro a cidade gaúcha se torna a meca dos livros, dos escritores e das ideias, com uma programação que conta com diversas ações culturais, como bate-papos com escritores, sessões de autógrafos, contações de histórias, esquetes teatrais, além de artistas contemplados pelo Financiarte, no Som na Feira.

Feira do livro Caxias do Sul_site front

Entre os escritores participantes estão Luís Fernando Veríssimo, Alice Ruiz, Cláudia Laitano, Elisa Lucinda, Luis Rubira, Luiz Felipe Pondé, Armindo Trevisan, Wagner Merije, Eucanaã Ferraz, Marcos Piangers, Ivan Martins, entre outros.

O poeta e escritor Wagner Merije, que participa pela primeira vez da Feira, lança seu novo livro “Cidade em transe”, e ministra a oficina “Torpedos – Literatura na ponta dos dedos”, no dia 17/10, na parte da tarde. A expectativa é grande.

Feira do Livro de Caxias do Sul_Wagner Merije

 

A Feira segue até o dia 18 de outubro, na Praça Dante Alighieri. A programação continua intensa e pode acessada no novo site da Feira: www.feiradolivrocaxias.com

Alice Ruiz_Feira do livro Caxias do SUL Feira do livro Caxias 2 Feira do livro Caxias do Sul 1

Cidade em transe na Benedito Calixto


13 set

A Praça Benedito Calixto, em Pinheiros, é um dos epicentros culturais, sociais e políticos de São Paulo.

Foi lá que rolou mais um lançamento do livro Cidade em transe, de Wagner Merije.

A manhã começou com bolo de nozes e café e terminou com cerveja, baião de dois e vaquejada.

Foi lindo, emocionante, inesquecível! A todos, os sinceros agradecimentos.

 

ESPAÇO CULTURAL ALBERICO RODRIGUES

Praça Benedito Calixto, 159 – Pinheiros – São Paulo

12/09/2015  – das 11h30 às 15h

 

Cidade em transe na Suburbano Convicto


12 ago

O lançamento do livro CIDADE EM TRANSE, de Wagner Merije, no Sarau Suburbano Convicto, foi um grande sucesso.

É a força da literatura periférica e marginal se manifestando em palavras e ações.

O Sarau Suburbano acontece toda terça-feira, das 19h30 às 22h, na Livraria Suburbano Convicto, única livraria do país especializada em literatura marginal, nas palavras do gerente e escritor Alessandro Buzo, que toca o projeto ao lado da família e do parceiro Tubarão Dulixo, também escritor.
Anote aí e venha fazer parte desse movimento revolucionário:

Lançamento do livro CIDADE EM TRANSE

Dia 11/08 – terça-feira – das 19h30 às 22h
Rua 13 de Maio, 70 – 2o andar
Bixiga (10 min. Metrô Anhangabaú)
Inf: (11) 98218-7512

 

 

Fotos realizadas no Sarau do dia 28/07/15, em que Wagner Merije foi um dos participantes

 

Acompanhe SC: sarau-suburbano-sempre-assim-poetico

                              www.sarausuburbano.blogspot.com

FliBonito, o Mato Grosso do Sul e o vôo das palavras


14 jul

O Brasil precisa de educação. O Brasil é grande e bonito. Quando se junta a educação com a literatura, então a gente descobre que a grandeza do Brasil é ainda maior.

E se você quer conhecer esse Brasilzão, precisa conhecer mesmo, precisa conhecer Bonito, no Mato Grosso do Sul.

FliBonito_Manoel de Barros

“No descomeço era o verbo.
Só depois é que veio o delírio do verbo.
O delírio do verbo estava no começo, lá onde a criança diz:
Eu escuto a cor dos passarinhos.
A criança não sabe que o verbo escutar não funciona para cor, mas para som.
Então se a criança muda a função de um verbo, ele delira.
E pois.
Em poesia que é voz de poeta,
que é a voz de fazer nascimentos –
O verbo tem que pegar delírio.”

(Manoel de Barros, em “O Livro das Ignorãças”)

 

No dia 8 de julho de 2015 foi aberta a 1ª Feira Literária de Bonito (Flib), um evento grandioso em receptividade e marcante para todos os que participaram, público, oficineiros, leitores, autores e artistas de renome regional e nacional.

O homenageado foi e é o poeta Manoel de Barros, que inspirou a temática: “Literatura: o Delírio da Palavra”.

Sob a benção das Piraputangas Rainhas de Bonito, sob o céu incrível do lugar, na inspiração da cabeça de grandes escritores e criadores, com um gole da cachaça local e a música dos espíritos da floresta, o vôo das palavras se tornou profético e amplioso, como diria Manoel.

Bem organizada, bem-vinda e celebrada, “a Flib começa a construir um evento importante no calendário de Bonito, projetando ainda mais o nome da cidade no roteiro turístico do Brasil.” Sem esquecer de envolver, é claro, a sua população local, especialmente os educadores e estudantes, que participaram ativamente.

Foi um belíssimo “momento de atualização e construção do saber, de reflexões e de tomada de consciência.” A programação contou com importantes palestras e mesas-redondas, além de oficinas especialmente pensadas para professores, universitários e alunos do ensino médio, como “Torpedos – literatura na ponta dos dedos”, ministradas por Wagner Merije, entre outras;

atividades lúdicas com crianças dos ensinos infantil e fundamental, integrando literatura e meio ambiente; lançamentos de livros e conversas com os autores; projeção de filmes de curta-metragem; e performances, intervenções, instalações, declamações, teatro e música integrados à literatura. Todas as atividades da Flib foram gratuitas.

Na ocasião, o escritor Wagner Merije fez o lançamento de seu mais recente livro, o romance “Cidade em transe” (Aquarela Brasileira livros).

Foi uma importante oportunidade para valorizar as raízes, tradições e histórias do fértil imaginário do Mato Grosso do Sul, conhecer seus bons escritores e estar próximo de sua gente boa.

Para além das letras e dos livros, Bonito é um lugar para ser descoberto entre a floresta, na beira dos rios onde os peixes boiam como curiosos à beira d’água, nas grutas e na paisagem das estradas que só aquela região tem, nos seus mistérios e fronteiras com o Paraguai e a Bolívia.

Acaba não mundão, que muitas Flibs virão!

 

“Chão de mármore

Um céu infinito

Tinha araras nas árvores

Quando cheguei em Bonito

O meu suor se fez pão e vinho letra destino”

(Wagner Merije)

Acompanhe Flib: www.flibonito.com.br