Post com a tag ‘Instituto Politécnico de Coimbra’

VAMOS CONVERSAR com Luis Turiba


29 nov

Feed_Vamos Conversar_Luis Turiba

VAMOS CONVERSAR é uma série de conversas com personalidades da literatura

No dia 08 de dezembro de 2022 o Centro Cultural Penedo da Saudade, do Instituto Politécnico de Coimbra, dá prosseguimento ao projeto Vamos Conversar, um ciclo de conversas e debates com personalidades da literatura.

O convidado de dezembro é Luis Turiba, poeta, editor e jornalista.

O projeto visa estimular reflexões sobre a cultura e a educação, dar ao público oportunidade de conhecer a obra e o pensamento de grandes escritores, e que o debate gere conhecimento e transformação.

Já participaram como convidados os escritores Onésimo Teotónio Almeida, Richard Zimler, António Carlos Cortez, Raquel Ochoa, Joana Bértholo, Maria João Cantinho, Elisa Lucinda, Alice Ruiz, Rosa Oliveira, Minês Castanheira, Carlos Nuno Granja, Ana Ventura, Aurelino Costa, Carlos Seabra, Vicente Paulino, Celso Borges e Andreia Azevedo Moreira.

Trata-se de uma realização do Centro Cultural Penedo da Saudade e co-organização da Aquarela Brasileira Multimedia, com mediação de Wagner Merije.

Vamos Conversar – Literatura, Cultura e Bric a Bracs: Uma conversa com Luis Turiba

Dia: 08 dezembro de 2022 – Quinta-feira – Hora: 18:00 (Hora de Lisboa) – 15:00 (Hora de Brasília)
Com transmissão em directo para todo o mundo pelo facebook do Centro Cultural Penedo da Saudade: www.facebook.com/centroculturalpenedosaudade

Pode participar no Zoom através do link http://bit.ly/3ENICrV o ID da reunião 956 4447 3185 e Senha de acesso 845403

  

Sobre o convidado
Luis Turiba é pernambucano, cresceu no Rio de Janeiro e  morou por 32 anos em Brasília, onde trabalhou em diversos órgãos de imprensa como jornalista (Gazeta Mercantil, Jornal do Brasil, Jornal de Brasília, Correio Braziliense).
Tem a idade do Estádio do Maracanã, inaugurado em 1950.
Foi assessor de Imprensa do cantor e compositor Gilberto Gil, quando este assumiu o Ministério da Cultura do Brasil, de 2002 a 2005.
Foi editor da revista de poesia experimental BRIC-A-BRAC, publicada em Brasília de 1985 até 1992, contando com grandes entrevistas com os poetas Augusto de Campos, Manoel de Barros, Caetano Veloso, o sambista Palinho da Viola, o bibliófilo José Mindlin, o antropólogo francês Pierre Verger e outros. Em 2022, ano do bi-centenário da Independência do Brasil e dos 100 anos da Semana de Arte Moderna de São Paulo, a revista foi retomada em grande estilo.
Organizou o grupo e a coleção de livros OI POEMA com Nicolas Behr, Cristiane Sobral, Amneres, Bic Prado e Angélica Torres.
Publicou em 2014 pela Editora 7 Letras o livro “Qtais”. Depois mais dois livros: “Desacontecimentos”, em 2018, e minimax “Poeira Cósmica”, em 2017. Durante a quarentena da pandemia, editou artesanalmente o livreto “Se virem, Terráqueos”, com 48 páginas e 25 poemas, com capas únicas numeradas e assinadas feitas de papelão reciclado.
Tem participado de recitais, encontros e saraus no Rio de Janeiro e pelo Brasil afora com poetas como Paulo Sabino, Ricardo Silvestrin, Salgado Maranhão, Antônio Cícero, Anna Maria Fernandes, Tanussi Cardoso, Antônio Carlos Secchin e outros.

Sobre o Centro Cultural Penedo da Saudade
Inaugurado em 18 de janeiro de 2019 e integrado no projeto cultural do Instituto Politécnico de Coimbra, o Centro Cultural Penedo da Saudade tem como objetivo primordial contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade deste Instituto numa complementaridade do que é já a produção cultural das suas unidades orgânicas. Também visa promover a partilha de eventos culturais e artísticos em Coimbra, quer através do reforço da divulgação quer, mesmo, através de intercâmbios. Encontra-o na zona do Penedo da Saudade, com uma bela vista da cidade. www.ipc.pt/ipc/viver/cultura/ccps-digital

Sobre o mediador
Wagner Merije é jornalista, escritor, editor e gestor cultural envolvido com projetos ligados à cultura, educação e meio ambiente em países como Brasil, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Estados Unidos. É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Como jornalista, passou por redes de TVs, rádios, jornais, revistas e sites no Brasil, Inglaterra e Portugal. Escreve para todas as idades e tem 11 livros publicados – poesia, ficção e não ficção, entre os quais estão Sol do Novo Mundo – Fatos e curiosidades sobre a Independência do Brasil e outras guerras e revoluções que impactaram o mundo (2022), Conhece-te a ti mesmo – Pensamentos e práticas à procura de novas primaveras (2021), O Cotovelo Kovid (2020), Psyche & Hamlet vão para Hodiohill (2019), Astros e Estrelas – Memórias de um jovem jornalista em Londres (2017), entre outros. Como editor, publicou obras de Luís Vaz de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Pessanha, João José Cochofel, Pêro Vaz de Caminha, entre outros, e títulos como Coimbra em Palavras, Coimbra em Imagens, São Paulo em Palavras, São Paulo em Imagens, entre outras.

 

Outras conversas: www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar

Informações:

www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar-com-luis-turiba

faleaquarela@gmail.com

VAMOS CONVERSAR com Raquel Ochoa


27 ago

FEED_vamos Conversar_Raquel Ochoa

VAMOS CONVERSAR é uma série de conversas com personalidades da literatura

 

No dia 08 de setembro de 2022 o Centro Cultural Penedo da Saudade, do Instituto Politécnico de Coimbra, dá prosseguimento ao projeto Vamos Conversar, um ciclo de conversas e debates com personalidades da literatura.

A convidada de setembro é Raquel Ochoa, escritora, repórter de viagens e licenciada em Direito.

O projeto visa estimular reflexões sobre a cultura e a educação, dar ao público oportunidade de conhecer a obra e o pensamento de grandes escritores, e que o debate gere conhecimento e transformação.

Já participaram como convidados os escritores Onésimo Teotónio Almeida, Richard Zimler, António Carlos Cortez, Joana Bértholo, Maria João Cantinho, Elisa Lucinda, Rosa Oliveira, Minês Castanheira, Carlos Nuno Granja, Ana Ventura, Aurelino Costa, Vicente Paulino, Alice Ruiz e Carlos Seabra.

Trata-se de uma realização do Centro Cultural Penedo da Saudade e co-organização da Aquarela Brasileira Multimedia, com mediação de Wagner Merije.

Vamos Conversar – Literatura, Viagens e Biografias: Uma conversa com Raquel Ochoa

Dia: 08 setembro de 2022 – Quinta-feira – Hora: 18:00 (Hora de Lisboa)
Com transmissão em directo para todo o mundo pelo facebook do Centro Cultural Penedo da Saudade: www.facebook.com/centroculturalpenedosaudade

Pode participar no Zoom através do link http://bit.ly/3aseuXD com o ID da reunião 854 5778 4511 e Senha de acesso 633677

 

Sobre a convidada

Vencedora do prémio literário revelação Agustina Bessa-Luís em 2009, Raquel Ochoa pratica diversos géneros literários: romance, crónica de viagem e biografia com especial interesse no encontro de culturas ao longo da história. Nasceu em Lisboa. Licenciou-se em Direito.

Com o premiado romance-histórico “A Casa-Comboio” (2010), trouxe ao grande público a saga de uma família indo-portuguesa originária de Damão e a epopeia da desconhecida ou ignorada Índia Portuguesa. Está traduzido e publicado em Itália.
“Mar Humano” (romance histórico, 2014), sobre os desafios que os jornalistas atravessaram perante os vários regimes políticos ao longo do séc. XX, decorre nos bastidores da Imprensa portuguesa.
“As Noivas do Sultão” (2015, romance histórico) baseia-se em factos verídicos decorridos em 1793, aquando da chegada da família real e do harém do rei de Marrocos a Lisboa, ao serem desviados por uma tempestade no Atlântico.
Em 2011 surpreendeu o público português com “A Infanta Rebelde”, a biografia de D. Maria Adelaide de Bragança, condecorada Grande Oficial da Ordem de Mérito pelo Presidente da República de Portugal em Janeiro de 2012.

Outras obras: Literatura de viagens: “Sem Fim à Vista – a Viagem” (2012), “O Vento dos Outros” (2008) e o recente “Pés na Terra”, um ensaio sobre vários cantos do mundo palmilhados e descritos num registo intimista. E ainda a biografia: “Bana – Uma vida a cantar Cabo Verde” (2008) , a biografia do cantor.

Em 2017, publicou em Macau “Manuel Vicente – A Desmontagem do Desconhecido”, um ensaio biográfico sobre Manuel Vicente, “O arquitecto de Macau”. Há vários anos que organiza cursos relacionados com os seus géneros literários de eleição. É uma das autoras residentes do “Viagens com Autores”, preparando e acompanhado périplos à Índia Portuguesa, Cabo Verde, Filipinas, Londres e La Lys, Japão, no rasto das obras que escreveu.

Sites:
www.raquelochoa.blogspot.com

https://www.wook.pt/autor/raquel-ochoa/45982

 

Sobre o Centro Cultural Penedo da Saudade
Inaugurado em 18 de janeiro de 2019 e integrado no projeto cultural do Instituto Politécnico de Coimbra, o Centro Cultural Penedo da Saudade tem como objetivo primordial contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade deste Instituto numa complementaridade do que é já a produção cultural das suas unidades orgânicas. Também visa promover a partilha de eventos culturais e artísticos em Coimbra, quer através do reforço da divulgação quer, mesmo, através de intercâmbios. Encontra-o na zona do Penedo da Saudade, com uma bela vista da cidade. www.ipc.pt/ipc/viver/cultura/ccps-digital

 

Sobre o mediador
Wagner Merije é jornalista, escritor, editor e gestor cultural envolvido com projetos ligados à cultura, educação e meio ambiente em países como Brasil, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Estados Unidos. É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Como jornalista, passou por redes de TVs, rádios, jornais, revistas e sites no Brasil, Inglaterra e Portugal. Escreve para todas as idades e tem 11 livros publicados – poesia, ficção e não ficção, entre os quais estão Sol do Novo Mundo – Fatos e curiosidades sobre a Independência do Brasil e outras guerras e revoluções que impactaram o mundo (2022), Conhece-te a ti mesmo – Pensamentos e práticas à procura de novas primaveras (2021), O Cotovelo Kovid (2020), Psyche & Hamlet vão para Hodiohill (2019), Astros e Estrelas – Memórias de um jovem jornalista em Londres (2017), entre outros. Como editor, publicou obras de Luís Vaz de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Pessanha, João José Cochofel, entre outros, e títulos como Coimbra em Palavras, Coimbra em Imagens, São Paulo em Palavras, São Paulo em Imagens.

Vida, Amor e Dor: As mulheres na construção do Brasil


12 ago

FEED_Expo Vida Amor e Dor

 

“Vida, Amor e Dor: As mulheres na construção do Brasil”

 

De 2 de setembro a 2 de outubro de 2022

Inauguração: Dia 02/09/2022 às 18:00 horas

Visitas: De terça a domingo, das 14:00 às 20:00

 

Centro Cultural Penedo da Saudade

Coimbra – Portugal

 

 

Vida, Amor e Dor: As mulheres na construção do Brasil” é uma mostra alusiva ao universo feminino. Esta exposição inédita insere-se na programação dos 200 anos da Independência do Brasil e apresenta uma tentativa de compreender o lugar e a importância das mulheres no processo de formação do Brasil antes e depois da chegada dos portugueses.

Os espaços expositivos do Centro Cultural Penedo da Saudade serão ocupados com obras em diversos formatos e suportes, como colagens analógicas, impressões digitais em tecidos, prints, pinturas e cerâmicas, criadas pelas artistas Lia Testa, Cláudia Costa e Juliana Leitão Marcondes.

O conjunto das obras abordam diversas questões dentro do universo temático do feminino e convida o público a pensar e a debater o passado, o presente e o futuro.

 

Artistas Participantes

Eliane Testa (Lia Testa) é professora, poeta e artista visual. Como colagista explora a colagem analógica a partir de procedimentos de justaposição e de sobreposição de imagens. Sua produção visual tematiza a mulher em diferentes olhares e é atravessada pelo erótico e pelo nonsense. Suas últimas séries de colagens tematizam o Cerrado, um dos biomas brasileiros mais ameaçados. Atualmente tem pesquisado a mixmediacollage e a colagem expandida. Possui pós-doutorado em etnopoesia (PPGL/UFT – 2020). Doutora em Comunicação e Semiótica (PUC/SP – 2015), Mestre em Letras pela (UEL/PR – 2002). Tem publicado os livros de poesia “guizos da carne: pelos decibéis do corpo” (Poesia Menor/ SP, 2014) e “sanguínea até os dentes” (Patuá/SP, 2017). É professora da Universidade Federal do Tocantins-UFT/UFNT, do Curso de Letras, docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras: Ensino de Língua e Literatura – PPGL, da Universidade Federal do Tocantins/Câmpus de Araguaína e do Programa de Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras – UFT/Câmpus de Araguaína). Instagram: @liatesta_colagista

eleutheria libertas_Lia Testa_redux

 

Cláudia Costa é uma pintora iconoclasta figurativa nascida em Coimbra em 1966. Licenciada em Pintura pela Universidade das Artes de Coimbra (ARCA/ EUAC), professora de artes no ensino público desde 1996. Iniciou o seu percurso artístico em 1986, tendo-se feito representar em inúmeras exposições individuais e coletivas. Sobre seu trabalho escreveu o Professor Carlos Almeida: “A sua Pintura navega entre os Mitos e a História, entre mundos sobrenaturais e a necessidade da compreensão do mundo real, numa convivência crítica entre os ícones atuais ou um certo lixo civilizacional e as particularidades da Memória coletiva.”

Mulher Santa_Cláudia Costa_redux

 

Juliana Leitão Marcondes é licenciada em Terapia Ocupacional, no Brasil e há sete anos vem fazendo seu percurso na cerâmica, sendo três deles em Portugal. Entre formações institucionais e aprendizados autodidata, principalmente na roda de oleiro, vem produzindo e reproduzindo peças inspirados no cotidiano, que se adaptam aos diferentes movimentos da vida da artista. Ora a feira, ora uma instalação artística, ora o barro como benzedura e cura. “O meu trabalho na cerâmica é uma negociação constante entre três entidades: o barro, o humano e o movimento, da roda e da vida.” Participou como performer no ato performático “O corpo barro” do coletivo performático sem nome no festival Linha de fuga, realizado em Coimbra-Pt em setembro de 2020, com o tema Ritual em Espaço Público. Participou como criadora e performer de setembro de 2021 a janeiro de 2022 da residência artística Demiurga onde teve a exposição de suas peças cerâmicas na instalação intitulada “corpo barro – primeiro portal”. Participação como facilitadora na vivencia “Ritual de cocriação da Vida Plena com Barro” retiro da plenitude em setembro de 2021, mata do Bussaco.

Vida doméstica-Juliana Leitão Marcondes

 

Quem foram as mulheres que construíram o Brasil?

Às mulheres tem sido constantemente negado o devido crédito na História do Brasil. À vista disso, podemos levantar a seguinte questão: Quem foram as mulheres que construíram o Brasil?

Mulheres Indígenas, Mulheres Portuguesas (e europeias) e Mulheres Africanas muito fizeram, contribuíram e tiveram papéis importantes nas várias etapas da vida da nação – no desbravamento do solo, na defesa e reconquista da terra, na salvaguarda dos valores culturais e humanistas -, mas ficaram invizibilizadas por preconceitos nacionais, rácicos, religiosos, políticos, sociais e de género.

Na extensa galeria de homens célebres, personagens como a Imperatriz Leopoldina, a “soldado” Quitéria, Soror Joana Angélica, Dandara, Tereza de Benguela, Damiana, Urânia Vanério, Maria Firmina dos Reis, entre tantas outras, ficaram em segundo plano.

Dentre as mulheres abordadas nesta exposição, algumas alcançaram destaque pelo envolvimento ativo no processo da Independência, enquanto outras, mesmo que de maneira indireta, foram grandes observadoras do contexto e registraram os principais acontecimentos a partir de suas próprias percepções.

 

Sobre o Centro Cultural Penedo da Saudade

Inaugurado em 18 de janeiro de 2019 e integrado no projeto cultural do Instituto Politécnico de Coimbra, o Centro Cultural Penedo da Saudade tem como objetivo primordial contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade deste Instituto numa complementaridade do que é já a produção cultural das suas unidades orgânicas. Também visa promover a partilha de eventos culturais e artísticos em Coimbra, quer através do reforço da divulgação quer, mesmo, através de intercâmbios. Encontra-o na zona do Penedo da Saudade, com uma bela vista da cidade.

www.ipc.pt/ipc/viver/cultura/ccps-digital

 

Ficha Técnica

Curadoria e textos: Wagner Merije

Produção: Aquarela Brasileira Exhibitions

Informações: faleaquarela@gmail.com

www.aquarelabrasileira.com.br/vida-amor-e-dor-as-mulheres-na-construcao-do-brasil

www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-exhibitions

 

 

VAMOS CONVERSAR com Vicente Paulino


01 mai

redes sociais_vamos Conversar_Vicente Paulino

VAMOS CONVERSAR é uma série de conversas com personalidades da literatura

No dia 12 de maio de 2022 o Centro Cultural Penedo da Saudade, do Instituto Politécnico de Coimbra, dá prosseguimento ao projeto Vamos Conversar, um ciclo de conversas e debates com personalidades da literatura.

O convidado de maio é Vicente Paulino, escritor, professor e comunicador.

O projeto visa estimular reflexões sobre a cultura e a educação, dar ao público oportunidade de conhecer a obra e o pensamento de grandes escritores, e que o debate gere conhecimento e transformação.

Já participaram como convidados os escritores Onésimo Teotónio Almeida, Richard Zimler, Joana Bértholo, Maria João Cantinho, António Carlos Cortez, Elisa Lucinda, Rosa Oliveira, Minês Castanheira, Carlos Nuno Granja, Ana Ventura e Aurelino Costa.

Trata-se de uma realização do Centro Cultural Penedo da Saudade e co-organização da Aquarela Brasileira Multimedia, com mediação de Wagner Merije.

Vamos Conversar – Literatura, Timor-Leste e Identidades: Uma conversa com Vicente Paulino
Dia: 12 maio de 2022 – Quinta-feira – Hora: 12:00 (Hora de Lisboa) 21:00 (Hora de Díli)

Com transmissão em directo para todo o mundo pelo facebook do Centro Cultural Penedo da Saudade: www.facebook.com/centroculturalpenedosaudade
Pode participar no Zoom com o ID da reunião 813 5832 0576 e Senha de acesso 345112.

Sobre o convidado
Vicente Paulino nasceu em Holsa-Maliana, Timor-Leste, no dia 1 de oubutro de 1978. É Licenciado e Mestre em Ciências da Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Doutorado em Estudos de Literatura e Cultura/especialidade em Cultura e Comunicação pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Professor Convidado e Director do Centro de Estudos de Cultura e Artes da Universidade Nacional Timor Lorosa’e (CECA-UNTL). Entre 2013 a 2020 assumiu a função de Director da Unidade de Produção e Disseminação do Conhecimento do Programa de Pós-Graduação e Pesquisa da UNTL. Foi Professor Convidado para o curso de mestrado em Relações Internacionais da Universidade da Paz (UNPAZ) em 2016-2017. Investigador colaborador do CEMRI da Universidade Aberta de Lisboa e do CLEPUL da Universidade de Lisboa. Tendo autor e co-autor de alguns livros – Representação Identitária em Timor-Leste: Culturas e os Media (Porto – Edições Afrontamento, 2019), Tradições Orais de Timor-Leste (Casa Apeoma – Belo Horizonte, Díli, 2016), O que é sociologia? (Lisboa – Escolar Editora, 2016), Leituras do Mundo e da Natureza – Poemas (Casa Apoema – Díli, 2018), Olhares sobre as narrativas de origem em Timor-Leste (Casa Apoema – Brasil, Díli, 2020), O que é Tradição? (Lisboa – Escolar Editora, 2021), Existem Valores Universais? (Lisboa – Escolar Editora), Alma Guerreira Timorense – Poesia (Díli, 2021), incluindo a publicação de vários artigos em capítulos de livro e revistas de arbitragem científica.

Sobre o Centro Cultural Penedo da Saudade
Inaugurado em 18 de janeiro de 2019 e integrado no projeto cultural do Instituto Politécnico de Coimbra, o Centro Cultural Penedo da Saudade tem como objetivo primordial contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade deste Instituto numa complementaridade do que é já a produção cultural das suas unidades orgânicas. Também visa promover a partilha de eventos culturais e artísticos em Coimbra, quer através do reforço da divulgação quer, mesmo, através de intercâmbios. Encontra-o na zona do Penedo da Saudade, com uma bela vista da cidade.

Sobre o mediador
Wagner Merije é jornalista, escritor, editor e gestor cultural envolvido com projetos ligados à cultura, educação e meio ambiente em países como Brasil, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Estados Unidos. É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Como jornalista, passou por redes de TVs, rádios, jornais, revistas e sites no Brasil, Inglaterra e Portugal. Escreve para todas as idades e tem 11 livros publicados de poesia, ficção e não ficção, entre os quais estão Conhece-te a ti mesmo – Pensamentos e práticas à procura de novas primaveras (2021), O Cotovelo Kovid (2020), Psyche & Hamlet vão para Hodiohill (2019), entre outros. Como editor, publicou obras de Luís Vaz de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Pessanha, João José Cochofel, entre outros, e títulos como Coimbra em Palavras, Coimbra em Imagens.

Outras conversas: www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar

Informações:
www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar-com-vicente-paulino
faleaquarela@gmail.com

VAMOS CONVERSAR com Aurelino Costa


28 mar

Redes Sociais_Vamos Conversar_Aurelino Costa

VAMOS CONVERSAR é uma série de conversas com personalidades da literatura

No dia 14 de abril de 2022 o Centro Cultural Penedo da Saudade, do Instituto Politécnico de Coimbra, dá prosseguimento ao projeto Vamos Conversar, um ciclo de conversas e debates com personalidades da literatura.

O convidado de abril é Aurelino Costa, poeta, diseur, actor e jurista.

O projeto visa estimular reflexões sobre a cultura e a educação, dar ao público oportunidade de conhecer a obra e o pensamento de grandes escritores, e que o debate gere conhecimento e transformação. Já participaram como convidados os escritores Onésimo Teotónio Almeida, Richard Zimler, Joana Bértholo, Maria João Cantinho, António Carlos Cortez, Elisa Lucinda, Rosa Oliveira, Minês Castanheira, Carlos Nuno Granja e Ana Ventura.

Trata-se de uma realização do Centro Cultural Penedo da Saudade e co-organização da Aquarela Brasileira Multimedia, com mediação de Wagner Merije.

Vamos Conversar – Literatura, Corpo e Voz: Uma conversa com Aurelino Costa

Dia: 14 abril de 2022 – Quinta-feira – Hora: 18:00 (Hora de Lisboa)
Com transmissão em directo para todo o mundo pelo facebook do Centro Cultural Penedo da Saudade: www.facebook.com/centroculturalpenedosaudade

Pode participar no Zoom através do link http://bit.ly/3txs4Qa com o ID 843 1686 0443 e Senha de acesso 324968

 

Sobre o convidado
Aurelino Costa nasceu em Argivai, Póvoa de Varzim, em Dezembro de 1956. É licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

 
ObraPoesia Solar (1992); Na Raiz do Tempo (2000); Pitões das Júnias, com ilustrações de Anxo Pastor, (Ed. Fluviais e Galeria Arcana 2002 e Ed. Bluebook 2020); Amónio (2003), 2ª edição (bilingue, castelhano-português) tradução de Sílvia Zaias (2006); Amónio, 3ª edição, Edições Húmus, Fev/2022; Na Terra de Genoveva (2005); Domingo no Corpo (2013); Gadanha, Ed. Modo de Ler (2018), nomeado para Prémio Autores SPA/2019, na categoria de Literatura- Melhor Livro de Poesia.
Antologias: hotel ver mar, (bilingue Português-Alemão) tradução de Michael Kegler (2009); Portuguesia ContraAntologia (2009); Pegadas (2011); Corté la naranja en dos, tradução de Fernando Reyes (2012); Amado Amato (2012); A Arqueologia da Palavra e a Anatomia da Língua (2013); Cunhal/Cem anos/100 palavras (2013); De voz dada, Porta XIII, Amália e os Poetas (2013); Barricadas de Estrelas e de Luas(2013); Antologia Poética Clepsydra (2014) ; Chão de Brinco poesia (2016/ 2017), “O Povo, meu poema te atravessa – Antologia poética de língua portuguesa – Ed. Modo de Ler – (2018); “Luvina, 93” – Guadalajara – Travessía Portugal – Ed. Universidade de Guadalajara (2018); “O Sol é Secreto” – Poetas celebram Eugénio de Andrade (Póvoa de Atalaia, 2019); “O Sangue dos Rios”, Poetas celebram Fernando Namora  (Fundão, 2019); “Devir” nº 6, Revista Ibero – Americana de Cultura (Ed. Licorne 2020), “MADEIRO”; Fólios de Poesia I, Ed. Município de Penamacor, 2020, Antologia Digital “Letras desde el encierro”, Ed. PEN Porto Rico Internacional 2021; “OS DIAS DA PESTE”, Ed. PEN Clube Português, 2021; NERVO/12, colectivo de poesia / 2021; ACANTO, Revista de Poesia, nº 4, Dez.2021.
Dizedor: Prémio Mineiro Poético/2011. DiscografiaNa Voz do Regresso, ed. Comemorativa do Centenário de Nascimento de José Régio, com o Maestro António Victorino D’Almeida (2001); Confluência CD Áudio,- Livro do Professor – com Alberto Augusto Miranda (2002); Torga – Poesia, com António Victorino d’Almeida (2009); em gravação“ NOBRE, não Só ”, com o guitarrista e compositor Paulo Vaz de Carvalho.
Narração em:  Miguel Cervantes & las Músicas del Quixote, com Hespérion XXI, sob a direção de Jordi Savall (2006).
Participação no CD Peiwoh na voz da soprano Arianna Savall com o poema Harpa e delírio da água, Ed.Alia Vox (2009).
Documentários fílmicos: Dizedor, em Olhar Coimbra (1993); Olhar Mar (1993/1995) e em Os Braços da Lancha (2015).
Cinema: actor em Netto e o Domador de Cavalos, de Tabajara Ruas, Rio Grande do Sul – Brasil (2008), finalista do Festival de cinema de Gramado.
Actor  em O Tempo e as Bruxas, de António Victorino D’Almeida (2012)
Televisão: actor em “Pianíssimo” e “Sons do Tempo”, de António Victorino D’Almeida.
Associado da Associação Portuguesa de Escritores, Associação Homens de Letras do Porto (ajhlp) e do PEN Clube Português.

Sobre o Centro Cultural Penedo da Saudade
Inaugurado em 18 de janeiro de 2019 e integrado no projeto cultural do Instituto Politécnico de Coimbra, o Centro Cultural Penedo da Saudade tem como objetivo primordial contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade deste Instituto numa complementaridade do que é já a produção cultural das suas unidades orgânicas. Também visa promover a partilha de eventos culturais e artísticos em Coimbra, quer através do reforço da divulgação quer, mesmo, através de intercâmbios. Encontra-o na zona do Penedo da Saudade, com uma bela vista da cidade.

Sobre o mediador
Wagner Merije é jornalista, escritor, editor e gestor cultural envolvido com projetos ligados à cultura, educação e meio ambiente em países como Brasil, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Estados Unidos. É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Como jornalista, passou por redes de TVs, rádios, jornais, revistas e sites no Brasil, Inglaterra e Portugal. Escreve para todas as idades e tem 11 livros publicados de poesia, ficção e não ficção, entre os quais estão Conhece-te a ti mesmo – Pensamentos e práticas à procura de novas primaveras (2021), O Cotovelo Kovid (2020), Psyche & Hamlet vão para Hodiohill (2019), entre outros. Como editor, publicou obras de Luís Vaz de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Pessanha, João José Cochofel, entre outros, e títulos como Coimbra em Palavras, Coimbra em Imagens.

Outras conversas: www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar

Informações:

www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar-com-aurelino-costa

faleaquarela@gmail.com

VAMOS CONVERSAR com ANA VENTURA


28 fev

Vamos Conversar_Ana Ventura_redes sociais

VAMOS CONVERSAR é uma série de conversas com personalidades da literatura

A convidada de março é Ana Ventura, escritora, artista e contadora de histórias.

No dia 10 de março de 2022 o Centro Cultural Penedo da Saudade, do Instituto Politécnico de Coimbra, dá prosseguimento ao projeto Vamos Conversar, um ciclo de conversas e debates com personalidades da literatura.
O projeto visa estimular reflexões sobre a cultura e a educação, dar ao público oportunidade de conhecer a obra e o pensamento de grandes escritores, e que o debate gere conhecimento e transformação.
Já participaram como convidados os escritores Onésimo Teotónio Almeida, Richard Zimler, Joana Bértholo, Maria João Cantinho, António Carlos Cortez, Elisa Lucinda, Rosa Oliveira, Minês Castanheira e Carlos Nuno Granja.
Trata-se de uma realização do Centro Cultural Penedo da Saudade e co-organização da Aquarela Brasileira Multimedia, com mediação de Wagner Merije.

Vamos Conversar – Literatura, Infâncias e Lendas: Uma conversa com Ana Ventura
Dia: 10 março 2022 – Quinta-feira – Hora: 18:00 (Hora de Lisboa)

Com transmissão em directo para todo o mundo pelo facebook do Centro Cultural Penedo da Saudade: www.facebook.com/centroculturalpenedosaudade
Pode participar no Zoom através do link http://bit.ly/3HVII1T com o ID 827 8724 8978 e Senha de acesso 520649

 
Sobre a convidada
Ana Ventura nasceu em Copenhaga em 1971, mas com seis anos já era alfacinha de gema. Formou-se em artes, com declinação em design de mobiliário, e trabalhou alguns anos como designer de interiores, mas o apelo pela escrita sempre foi grande. É em 2003, quando inicia a elaboração de conteúdos criativos para publicidade (o seu pai era publicitário e ilustrador), que puxa o fio desse novelo maravilhoso e inspirador que é escrever para a infância. Desde então os seus contos motivaram a edição de alguns álbuns ilustrados, sendo eles O Bicharoco que era Oco (Prémio de Ilustração Infantil BD Amadora, PNL), A Zebra Zezé (PNL), O Cato quer Mimos, Lendas Portuguesas Contadas de Novo (Juvenil), O Menino que gritou para dentro (coleção Na minha Rua, Zig Zag, PNL) Que Sentido faz? (coleção Imaginar e Pasmar) e Uma Bolota Prodigiosa (coleção O meu Planeta). A literatura infantil trouxe também a profissão que a faz feliz (como sempre acontece quando nos demoramos onde está o que nos diz respeito) e actualmente produz e realiza encenações com base nos seus livros cruzando a literatura, a performance e a arte visual. A intenção principal da sua atividade é a de contribuir para dar ao público mais jovem uma forma cativante de assimilar referências e conteúdos, estimulando para o livro e para   a leitura.
O Bicharoco que era oco 2006 Editora Pena Azul PNL – Ilustradora Carla Pott
A Zebra Zezé 2010 Editora Texto | Leya PNL – Ilustrador Alberto Faria
O Cato quer Mimos 2014 Editora Letra Imaginária | 2019 0a8, – Ilustrador Alberto Faria Lendas Portuguesas Contadas de Novo 2018 (8+) Fábula | 2020 Editora- Ilustrador Alberto Faria
O Menino que gritou para dentro 2018 (Coleção Na minha Rua, Zig Zag) Editora 0a8 PNL- Ilustrador Alberto Faria
Que Sentido faz? 2020 (Coleção Imaginar e Pasmar) Editora 0a8- Ilustradora Maria Vidigal
Uma Bolota Prodigiosa 2020 ( Coleção O meu Planeta) Editora 0a8 – Ilustradora Maria Vidigal

Sobre o Centro Cultural Penedo da Saudade
Inaugurado em 18 de janeiro de 2019 e integrado no projeto cultural do Instituto Politécnico de Coimbra, o Centro Cultural Penedo da Saudade tem como objetivo primordial contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade deste Instituto numa complementaridade do que é já a produção cultural das suas unidades orgânicas. Também visa promover a partilha de eventos culturais e artísticos em Coimbra, quer através do reforço da divulgação quer, mesmo, através de intercâmbios. Encontra-o na zona do Penedo da Saudade, com uma bela vista da cidade.

Sobre o mediador
Wagner Merije é jornalista, escritor, editor e gestor cultural envolvido com projetos ligados à cultura, educação e meio ambiente em países como Brasil, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Estados Unidos. É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Como jornalista, passou por redes de TVs, rádios, jornais, revistas e sites no Brasil, Inglaterra e Portugal. Escreve para todas as idades e tem 11 livros publicados de poesia, ficção e não ficção, entre os quais estão Conhece-te a ti mesmo – Pensamentos e práticas à procura de novas primaveras (2021), O Cotovelo Kovid (2020), Psyche & Hamlet vão para Hodiohill (2019), Astros e Estrelas – Memórias de um jovem jornalista em Londres (2017), Cidade em transe (2015), Viagem a Minas Gerais (2012),  Mobimento – Educação e Comunicação Mobile (2012) – finalista do Prêmio Jabuti 2013 na categoria Educação, Torpedos (2011), Turnê do Encantamento (2009). Como editor, publicou obras de Luís Vaz de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Pessanha, João José Cochofel, entre outros, e títulos como Coimbra em Palavras, Coimbra em Imagens, São Paulo em Palavras, São Paulo em Imagens, Propostas Novas para Novos Mundos, entre outros. +info: www.merije.com.br

Outras conversas: www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar

Informações:
www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar-com-ana-ventura

faleaquarela@gmail.com

Vamos Conversar com Joana Bértholo


30 jan

VAMOS CONVERSAR é uma série de conversas com personalidades da literatura

 

Joana Bértholo_crédito_Mário Melo Costa

Joana Bértholo_crédito_Mário Melo Costa

 

A convidada de fevereiro é Joana Bértholo, escritora e criadora cênica.

No dia 10 de fevereiro de 2022 o Centro Cultural Penedo da Saudade, do Instituto Politécnico de Coimbra, dá prosseguimento ao projeto Vamos Conversar, um ciclo de conversas e debates com personalidades da literatura.

O projeto visa estimular reflexões sobre a cultura e a educação, dar ao público oportunidade de conhecer a obra e o pensamento de grandes escritores, e que o debate gere conhecimento e transformação.

Já participaram como convidados os escritores Onésimo Teotónio Almeida, Richard Zimler, Maria João Cantinho, António Carlos Cortez, Elisa Lucinda, Rosa Oliveir,a Minês Castanheira e Carlos Nuno Granja.

Trata-se de uma realização do Centro Cultural Penedo da Saudade e co-organização da Aquarela Brasileira Multimedia, com mediação de Wagner Merije.

Vamos Conversar – Literatura, Ecologia e Fim do Mundo: Uma conversa com Joana Bértholo

A conversa foi transmitida em directo para todo o mundo pelo facebook do Centro Cultural Penedo da Saudade.

 Sobre a convidada

Joana Bértholo — Nasceu em Lisboa em 1982. É licenciada em Design de Comunicação na Faculdade de Belas-Artes de Lisboa; e doutorada em Estudos Culturais pela European University Viadrina, na Alemanha. Em paralelo à criação literária, escreve para dança e para teatro.

Tem vários romances, livros de contos e um livro infantil publicados na Editorial Caminho; bem como outros livros noutras editoras, com destaque para a Dois Dias Edições, Nova Mymosa e INCM. Em 2005 foi finalista do prémio Jovens Criadores. Em 2009, o primeiro romance “Diálogos Para o Fim do Mundo” ganhou o Prémio Maria Amália Vaz de Carvalho; em 2018, “O Museu do Pensamento” recebeu o Prémio de Melhor Livro Infantil do Festival Literário de Fátima e também da Sociedade Portuguesa de Autores (Prémio SPA). O seu último romance, “Ecologia”, foi finalista dos mais importantes prémios literários nacionais (APE, PEN Clube, DST, Casino da Póvoa, etc) e semifinalista do Prémio Oceanos.*

Em 2020, Joana Bértholo foi a autora selecionada para representar a literatura portuguesa na Noite da Literatura Europeia.
O seu próximo romance, “A História de Roma”, está previsto para o início de 2022, com a Editorial Caminho.
Outros projectos e publicações: www.unscratchable.info

 

Sobre o Centro Cultural Penedo da Saudade

Inaugurado em 18 de janeiro de 2019 e integrado no projeto cultural do Instituto Politécnico de Coimbra, o Centro Cultural Penedo da Saudade tem como objetivo primordial contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade deste Instituto numa complementaridade do que é já a produção cultural das suas unidades orgânicas. Também visa promover a partilha de eventos culturais e artísticos em Coimbra, quer através do reforço da divulgação quer, mesmo, através de intercâmbios. Encontra-o na zona do Penedo da Saudade, com uma bela vista da cidade.

 

Sobre o mediador

Wagner Merije é jornalista, escritor, editor e gestor cultural envolvido com projetos ligados à cultura, educação e meio ambiente em países como Brasil, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Estados Unidos. É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Como jornalista, passou por redes de TVs, rádios, jornais, revistas e sites no Brasil, Inglaterra e Portugal. Escreve para todas as idades e tem 11 livros publicados de poesia, ficção e não ficção, entre os quais estão Conhece-te a ti mesmo – Pensamentos e práticas à procura de novas primaveras (2021), O Cotovelo Kovid (2020), Psyche & Hamlet vão para Hodiohill (2019), Astros e Estrelas – Memórias de um jovem jornalista em Londres (2017), Cidade em transe (2015), Viagem a Minas Gerais (2012),  Mobimento – Educação e Comunicação Mobile (2012) – finalista do Prêmio Jabuti 2013 na categoria Educação, Torpedos (2011), Turnê do Encantamento (2009). Como editor, publicou obras de Luís Vaz de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Pessanha, João José Cochofel, entre outros, e títulos como Coimbra em Palavras, Coimbra em Imagens, São Paulo em Palavras, São Paulo em Imagens, Propostas Novas para Novos Mundos, entre outros. + info: www.merije.com.br

 

Outras conversas: www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar

 

Informações:
www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar-com-joana-bertholo

faleaquarela@gmail.com

VAMOS CONVERSAR com Maria João Cantinho


18 mai

Vamos Conversar_Maria João Cantinho_cartaz_redux

VAMOS CONVERSAR é uma série de conversas com personalidades da literatura

No dia 25 de maio de 2021 o Centro Cultural Penedo da Saudade, do Instituto Politécnico de Coimbra, dá prosseguimento ao projeto Vamos Conversar, um ciclo de conversas e debates com personalidades da literatura.
O projeto visa estimular reflexões sobre a cultura e a educação com o objetivo de potencializar novos fluxos de interação e criação nesta tão importante e admirada cidade. Também busca fazer desses encontros ágoras de troca de ideias entre os convidados e o público, de modo que todos sintam-se acolhidos e valorizados, e que o debate gere conhecimento e transformação.
Trata-se de uma realização do Centro Cultural Penedo da Saudade e co-organização da Aquarela Brasileira Multimedia.
A convidada de maio é Maria João Cantinho, professora, ensaísta e poeta.
A conversa terá transmissão em direto pelo facebook do Centro Cultural Penedo da Saudade.

Vamos Conversar 2 – Literatura, Melancolia e Revolução: Uma conversa com Maria João Cantinho
Dia: 25 mai. 2021
Hora: 18:00 (Lisboa)

Entrar na reunião Zoom

https://videoconf-colibri.zoom.us/j/81981545734?pwd=TFVjeGo4WVJYQWtHMEVRWHNVVDVOdz09

ID da reunião: 819 8154 5734
Senha de acesso: 705781

Sobre o Centro Cultural Penedo da Saudade
Inaugurado em 18 de janeiro de 2019 e integrado no projeto cultural do Instituto Politécnico de Coimbra, o Centro Cultural Penedo da Saudade tem como objetivo primordial contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade deste Instituto numa complementaridade do que é já a produção cultural das suas unidades orgânicas. Também visa promover a partilha de eventos culturais e artísticos em Coimbra, quer através do reforço da divulgação quer, mesmo, através de intercâmbios. Encontra-o na zona do Penedo da Saudade, com uma bela vista da cidade.

Sobre a convidada
Maria João Cantinho nasceu em Lisboa em 1963. Professora, ensaísta e poeta, tem várias obras publicadas, no âmbito da ficção, da poesia e do ensaio. Foi finalista em 2006 no Prémio Telecom, em 2016 foi galardoada com o Prémio Glória de Sant’Anna pelo livro «Do Ínfimo» e em 2020 foi premiada com o Prémio PEN Clube Português na modalidade de ensaio. É membro do Pen Clube Português, da APE e da APCL. Publica regularmente em revistas académicas e literárias. É editora da Revista Caliban.

Sobre o mediador
Wagner Merije é jornalista, escritor, editor e gestor cultural envolvido com projetos ligados à cultura, educação e meio ambiente em países como Brasil, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Estados Unidos. É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Como jornalista, passou por redes de TVs, rádios, jornais, revistas e sites no Brasil, Inglaterra e Portugal. Escreve para todas as idades e tem onze livros publicados, de poesia, ficção e não ficção, entre os quais estão Conhece-te a ti mesmo – Pensamentos e práticas à procura de novas primaveras (2021), O Cotovelo Kovid (2020), Psyche & Hamlet vão para Hodiohill (2019), Astros e Estrelas – Memórias de um jovem jornalista em Londres (2017), Cidade em transe (2015), Viagem a Minas Gerais (2012), Mobimento – Educação e Comunicação Mobile (2012) – finalista do Prêmio Jabuti 2013 na categoria Educação, Torpedos (2011), Turnê do Encantamento (2009). Como editor, publicou obras de Luís Vaz de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Pessanha, João José Cochofel, entre outros, e títulos como Coimbra em Palavras, Coimbra em Imagens, São Paulo em Palavras, São Paulo em Imagens, Propostas Novas para Novos Mundos, entre outros.

Maiores informações: faleaquarela@gmail.com

VAMOS CONVERSAR com António Carlos Cortez


26 abr

Vamos Conversar_António Carlos Cortez_cartaz_page-0001

 

VAMOS CONVERSAR é uma série de conversas com personalidades da literatura.
O projeto visa estimular reflexões sobre a cultura e a educação com o objetivo de potencializar novos fluxos de interação e criação nesta tão importante e admirada cidade.

Esta iniciativa busca fazer desses encontros ágoras de troca de ideias entre os convidados e o público, de modo que todos sintam-se acolhidos e valorizados, e que o debate gere conhecimento e transformação.

Trata-se de uma realização do Centro Cultural Penedo da Saudade e coorganização da Aquarela Brasileira Multimedia.

Com as limitações de contato social devido à pandemia, a conversa com António Carlos Cortez, poeta, ensaísta e professor, foi transmitida em direto pelo facebook do Centro Cultural, no dia 25/04/2021.

Sobre o CCPS
Inaugurado em 18 de janeiro de 2019 e integrado no projeto cultural do Instituto Politécnico de Coimbra, o Centro Cultural Penedo da Saudade tem como objetivo primordial contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade deste Instituto numa complementaridade do que é já a produção cultural das suas unidades orgânicas. Também visa promover a partilha de eventos culturais e artísticos em Coimbra, quer através do reforço da divulgação quer, mesmo, através de intercâmbios. Encontra-o na zona do Penedo da Saudade, com uma bela vista da cidade.

Sobre o convidado
António Carlos Cortez nasceu em Lisboa, em 1976. Poeta, ensaísta e crítico literário, colaborador permanente de diversas publicações (Jornal de Letras, Público e de revistas da especialidade, como a Colóquio-Letras, da Fundação Calouste Gulbenkian, e a Relâmpago, da Fundação Luís Miguel Nava, entre outras), é professor de Português e Literatura. É investigador do CEHUM – Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho. Publicou o seu primeiro livro de poesia em 1999. Recebeu em 2011, com Depois de Dezembro (Licorne), o Prémio da Sociedade Portuguesa de Autores para melhor livro de poesia publicado em Portugal em 2010. Na sua obra destacam-se os seguintes livros: O Nome Negro (2013), Animais Feridos (2016) e a antologia A Dor Concreta (2016), vencedora do Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes da Associação Portuguesa de Escritores em 2018. É ainda autor de Voltar a Ler, compilação de ensaios e crítica literária, e de Poética com Dicção – 16 Poetas Brasileiros para ler hoje, publicado no Rio de Janeiro e em Lisboa, na editora gato bravo. Tem obras publicadas no México e no Brasil e está incluído em várias antologias de poesia em Portugal e no estrangeiro. Com o livro Jaguar (Dom Quixote, 2019) venceu o Prémio Literário Ruy Belo de 2020. Seus lançamentos mais recentes são os livros Crítica Crônica (Guerra e Paz, 2021) e Skin Deep (Húmus, 2021). Foi consultor do Plano Nacional de Leitura (2010-2016) e atualmente é consultor do Plano Nacional das Artes. É membro da direção do PEN Clube Português e conselheiro para a leitura do Clube UNESCO. Ainda neste ano, serão publicados três livros: o primeiro romance, Um Dia Lusíada (a sair na Caminho), a reunião da sua obra de poesia (1996-2021), intitulada Novos Demônios Antigos Ritos (pela Imprensa Nacional) e Diamante (poesia, com chancela da Dom Quixote).

Sobre o mediador
Wagner Merije é jornalista, escritor, editor e gestor cultural envolvido com projetos ligados à cultura, educação e meio ambiente em países como Brasil, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Estados Unidos. É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Como jornalista, passou por redes de TVs, rádios, jornais, revistas e sites no Brasil, Inglaterra e Portugal. Escreve para todas as idades e tem onze livros publicados, de poesia, ficção e não ficção, entre os quais estão Conhece-te a ti mesmo – Pensamentos e práticas à procura de novas primaveras (2021), O Cotovelo Kovid (2020), Psyche & Hamlet vão para Hodiohill (2019), Astros e Estrelas – Memórias de um jovem jornalista em Londres (2017), Cidade em transe (2015), Viagem a Minas Gerais (2012), Mobimento – Educação e Comunicação Mobile (2012) – finalista do Prêmio Jabuti 2013 na categoria Educação, Torpedos (2011), Turnê do Encantamento (2009). Como editor, publicou obras de Luís Vaz de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Pessanha, João José Cochofel, entre outros, e títulos como Coimbra em Palavras, Coimbra em Imagens, São Paulo em Palavras, São Paulo em Imagens, Propostas Novas para Novos Mundos, entre outros.

… …