Post com a tag ‘Língua Portuguesa’

Blimunda_Ignácio de Loyola Brandão por Wagner Merije


29 ago

Blimunda 97_capa

Blimunda #97, julho/agosto de 2020

Este número duplo da revista Blimunda, revista da Fundação José Saramago, referente aos meses de julho e agosto de 2020, tem os seguintes destaques: O que devemos a Angela Davis, um texto de Sara Figueiredo Costa a propósito da publicação em Portugal do livro A Liberdade É Uma Luta Constante; uma entrevista a Ignácio de Loyola Brandão conduzida pelo jornalista e pesquisador Wagner MerijeEra uma vez, crônica da jornalista e escritora mexicana Sandra Lorenzano; um artigo, assinado por Andreia Brites, sobre os 10 anos de Liliput, rubrica dedicada à literatura infantojuvenil que a jornalista Sandy Gageiro mantêm na rádio Antena 2; Somos seres amputados, uma intervenção pública de José Saramago que teve lugar em Porto Alegre em 1999.

Descarregar/Download gratuito: Blimunda-97-julho-e-agosto-de-2020

No site da Fundação José Saramago

Ler no Scribd

Dia Mundial da Língua Portuguesa


29 abr

Várias pessoas ligadas ao mundo da escrita, autores, professores e editores se preparam para a comemoração do Dia Mundial da Língua Portuguesa, no próximo dia 5 de maio de 2020.

DMLP 1

 

O escritor, jornalista, editor e investigador na Universidade de Coimbra, Wagner Merije, faz parte da organização da Frente Mundial para celebrar esta data tão importante.

DMLP 3

Os encontros, que seriam presenciais, com mesas de discussão e apresentações, devido ao isolamento da pandemia, serão realizados online.

Confira vários depoimentos em vídeos curtos, de pessoas de países onde se fala português.

DMLP 2

 

Wagner Merije: https://flipgrid.com/0f032ce4

 

Manifesto da Abundância


24 jan

Sobre amor às artes, expertise e atenção…
E sobre…
E sobre ser escolhido e escolher fazer arte…
E sobre escolha ou condenação…
E sobre educar e aprender…
E sobre a Academia…
E sobre a Língua Portuguesa…
E sobre respeito e convivência com a diversidade…

E sobre… nós…

nós

 

Nisto acreditamos…

 

Prosperidade!

O universo é abundante de recursos, de bondades e recompensas.

 

Reconhecemos na linguagem da arte a pluralidade de sentidos como traço definidor.

O mundo é uma obra aberta.

Vamos expandir nossas fronteiras, vamos romper com os paradigmas.

 

O sol há de brilhar mais uma vez.

O amor será eterno novamente.

 

Nem desconfia


12 out

Todo o poeta quando preso
é um refugiado livre no universo
de cada coração
na rua.
O chefe da polícia
de defesa da segurança do estado
sabe como se prende um suspeito
mas quanto ao resto
não sabe nada.
E nem desconfia.

Um poema de José Craveirinha

José Craveirinha, por Fabiana Miraz de Freitas Grecco

José Craveirinha, por Fabiana Miraz de Freitas Grecco