Post com a tag ‘política’

Psyché e Hamlet vão para Hodiohill


12 nov

Psyché e Hamlet_capa3d

Psyché e Hamlet vão para Hodiohill, novo lançamento da Aquarela Brasileira Livros, é uma história de amor em meio ao caos

 

* Obra selecionada para o Prêmio Oceanos 2020

 

Psyché & Hamlet vão para Hodiohill, novo romance de Wagner Merije, conta a história de amor de duas almas sensíveis, P e H, que se conhecem num aeroporto, pouco antes de embarcarem rumo ao desconhecido. Mas os dois não seriam capazes de prever tudo que iriam viver em Hodiohill.

Em uma escrita ágil e inteligente, com pinceladas de humor, sentido de liberação e transfiguração, Psyché & Hamlet vão para Hodiohill convida leitores e leitoras para viverem uma história de amor carregada de aventura, suspense e grandes questionamentos existenciais.

Entre reviravoltas e situações insólitas e distópicas, o que está em jogo é o poder do amor e de que forma a Humanidade poderá salvar-se de inúmeros impasses.

O autor embaralha as fronteiras do gênero romance, mas por uma boa causa. Pelo olhar e vivências das personagens são abordados temas como a violência, o autoritarismo, o fanatismo religioso, o colonialismo, a xenofobia, o patriarcalismo, o machismo e padrões de relacionamentos afetivos.

Ao final de uma montanha russa carregada de adrenalina e fortes emoções, algumas perguntas ficam no ar, como: “de onde vem o ódio que tomou muitas vidas e países de assalto?”; “por quê perdemos tanto tempo com intrigas e guerras, quando a vida passa tão rápido e se esvai como uma chama?”

Psyché & Hamlet vão para Hodiohill é o segundo romance de Wagner Merije, autor de trabalhos diferentes e, ao mesmo tempo, em constante diálogo. Publicou os livros Astros e Estrelas – Memórias de um jovem jornalista em Londres (2017), Mexidinho (2017), Cidade em transe (2015), Viagem a Minas Gerais (2013), Torpedos (2012), Mobimento – Educação e Comunicação Mobile (2012) – finalista do Prêmio Jabuti 2013, e Turnê do Encantamento (2009). Além destas obras, participou de coletâneas, organizou, editou e prefaciou mais de duas dezenas de livros, entre os quais estão obras de Fernando Pessoa, Camões, Camilo Pessanha e João José Cochofel, e títulos como O garoto Regulus – Freireando a vida (2019), Coimbra em imagens (2019), Coimbra em palavras (2018), São Paulo em imagens (2017), São Paulo em palavras (2016), Trinta Anos-Luz – Poetas celebram 30 anos de Psiu Poético (2016) e Pelas periferias do Brasil vol. 6 (2016). É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, tendo publicado ensaios e artigos sobre literaturas de língua portuguesa, inglesa e grega. Saiba mais em www.merije.com.br

 

DADOS DO LIVRO
Título: Psyché e Hamlet vão para Hodiohill
Autor: Wagner Merije
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Gênero: Romance
Formato: 14 x 21 cm
Número de páginas: 164
ISBN: 978-85-92552-20-6
DL: 461950/19
Web: www.aquarelabrasileira.com.br/psyche-e-hamlet-vao-para-hodiohill
Encomendas: faleaquarela@gmail.com

 

LANÇAMENTOS/APRESENTAÇÕES
LISBOA/PT – 23/11/19 – sábado – das 16h30 às 18h30
Lugar Específico – Rua Actor Vale, nº 16 B

COIMBRA/PT – 26/11/19 – terça-feira – das 20h às 22h
Liquidâmbar – Praça da República nº 28 1º

PORTO/PT – 28/11/19 – quinta-feira – das 21h às 23h
Unicepe – Praça de Carlos Alberto, 128-A

SÃO PAULO/SP - 10/12/19 – terça-feira – das 19h às 21h
Casa de Portugal -Av. da Liberdade, 602 – Bairro da Liberdade

SÃO PAULO/SP – 14/12/19 – sábado – das 13h às 15h
O Autor na Praça – Espaço Plínio Marcos – Praça Benedito Calixto – Vila Madalena

BELO HORIZONTE/MG – 17/12/19 – terça-feira – das 19h às 21h
Livraria do Belas – Rua Gonçalves Dias, 1581 – Lourdes

BELO HORIZONTE/MG – 28/01/20 – terça-feira – das 19h às 21h
Asa de Papel Café & Arte – Rua Piauí, 631 – Santa Efigênia

SÃO PAULO/SP – 04/02/20 – terça-feira – das 19h às 21h
Patuscada Livraria, Bar & Café – Rua Luís Murat, 40 – Vila Madalena

*Programação sujeita a mudanças

 

Acompanhem tudo por aqui:
www.aquarelabrasileira.com.br/psyche-e-hamlet-vao-para-hodiohill

Panelaço gourmet


16 mar

A panela batida na varanda gourmet

ou no aplicativo de iphone

não é a mesma com angu ou vazia

A panela dos brasileiros

não é a mesma do Clube das Empreiteiras

nem do Grupo dos Sonegadores

O Brasil da “panelinha” e do panelaço gourmet

é mesquinho e egoísta

é uma panela que alimenta poucos

que grita bem alto escondido atrás da impunidade:

Fora Dilma!

e leva a preta empregada para empurrar o carrinho do bebê na Avenida Paulista

O Brasil é um caldeirão cultural, é uma favela

bater panela manipulado por senador ladrão é ser estúpido ao quadrado

bater panela na hora do Jornal Nacional é o mesmo que sentar no rabo sujo de corrupção e apoiar o assassinato em massa dos índios, negros, trabalhadores rurais, judeus, homossexuais e dos pobres

Aí, big brother, big sister, você vai estar encomendando

a guerra civil e uma hora ou outra os farofeiros vão invadir o seu triplex

e a sua varanda gourmet

Nessa hora, o jeito vai ser bater panela juntos

Um poema (em elaboração) de Wagner Merije

Marcha da Paixão


10 mar

Nossos versos avançam na Marcha da Paixão
sem medida
fecundados do futuro da nação
Nossos versos carregam o espírito da liberdade
e seguem a vida
lutando por emancipação
Nossos versos avançam na Marcha da Paixão
e ocupam a avenida
passos decididos na ação
Nossos versos carregam o espírito da liberdade
da causa oprimida
e da graça convicta da paixão
Mais amor
mais desejo
mais tesão
são muitas as pautas entre a multidão
Venha participar
ser amado e amar
Junte-se a nós nessa luta por finais felizes
e por menos cicatrizes no coração

Nossa manifestação é pacífica
e amorosa
dos partidários por menos corações partidos
Nosso percurso é o trajeto do afeto
luta vagarosa
voto não vencido
de quem luta pelo certo

Alguma resistência vamos enfrentar
a polícia vai querer dar porrada
os pastores vão tentar criminalizar
Sem querer desanimar
a hora é legítima e na caminhada
o povo vai nos apoiar

Pelas reformas
mais amor
mais desejo
mais tesão
erga sua bandeira
exerça seu direito cidadão
junte-se a nós
na Marcha da Paixão

Um poema (em elaboração) de Wagner Merije

Morfina


04 mar

Conheço policiais que não dormem de remorso

E políticos, que para dormir, se entopem de narcóticos

Conheço muitos homens de caráter falho

Esses mesmos homens que roubam o Estado

Conheço líderes confiáveis

E tantas guerras tão intoleráveis

Desconheço homens ricos sem partido

E banqueiros que não sejam bandidos

Conheço presos que pintam bem como Dali

E jovens saltimbancos que não têm como sorrir

Conheço mães que pros seus filhos dão desprezo

E homens que matam e roubam e não são presos

Conheço a adrenalina dos mistérios

E a perplexa vaidade dos cemitérios

Conheço a solidão de quem não tem ninguém para amar

E crianças que adorariam ter alguém para abraçar

Conheço padres que pensam dedicadamente no seu povo

E muitos papas que canalhamente esbanjam muito ouro

Conheço a lua que é só boa para poucos

E tantos bruxos que se entopem de tesouros

Conheço deuses que abençoam o futuro

Conheço bem a altura desse muro

Conheço a dor que grita louca pela rua

Conheço essa raiva que também é sua

Conheço o álcool do dinheiro

E o porre dos sonhos que todo dia perco

Conheço a grave anemia da pobreza

Essa doença não é para quem mereça

Conheço garotas que merecem o meu amor

E o veneno rápido que se esconde em tanta flor

Conheço o brilho das estrelas

E outros brilhos que só trazem dor de cabeça

Conheço a inquietação de muitos negros

E tantas mulheres dignas de respeito

Respeito todas as lutas contra o preconceito

Contra sexo, cor, credo, lado, defeito

Conheço a ira que o povo guarda

E o tom da paz que me agrada

Conheço a indignação que não quer desaparecer

E os limites do limite do que posso fazer

Conheço pessoas que não dormem de remorso

E quero que essas pessoas evaporem de desgosto

Um poema de Wagner Merije

BH, 1995 + dez/2001

Publicado até agora no livro “Cidade em transe” (Aquarela Brasileira Livros)

 

030320168359

Merije falando o poema Morfina_Psiu Poético 2015

Merije falando o poema Morfina_Psiu Poético 2015

Muito a fazer e descobrir


13 abr

Podem me fazer mal

Podem me querer mal

E até achar banal

Que eu me sinta mal

Podem espalhar o caos

Podem pagar pra geral

E até achar normal

Que eu me sinta mal

Mas tenho muito a fazer e descobrir

Ligo noutras

Sigo em frente

Cabeça erguida

Fôlego pra subida

Caminhando ao lado de quem me quer bem

Sigo em paz

Chão de estrelas

Tenho muito a fazer e descobrir… ir…

Podem fazer o mal

Podem espalhar o caos

E até achar normal

Mas não é natural

Podem botar sal

Podem jogar cal

Deus me livre e tal

Eu sou do bem total

Pai, tive um sonho

Boa gente no meu sonho

Era autêntico, todos juntos do meu lado

Respirando, trabalhando, celebrando

Simplesmente

Quanto mais frágil,

Mais forte,

Quanto mais forte,

Mais capaz de fazer outras pessoas felizes

 

Muito a fazer e descobrir – promo

Letra: Merije – Música: Merije / Jamphel D

Voz: Merije / Roberta Fly

Produção Musical e Vídeo: Jamphel D

Lançamento: Aquarela Brasileira Music