São Paulo em imagens

11 jan

capa 3D frente_São Paulo em imagens

capa 3D verso_São Paulo em imagens

Convite_São Paulo em imagens_lançamento

 

São Paulo em imagens, novo título da Aquarela Brasileira Livros, reúne 27 fotógrafos e uma belíssima coleção de imagens da maior cidade do Brasil

 

LANÇAMENTO

Dia 25/01/2018, das 19h às 22h

Matilha Cultural

Rua Rêgo Freitas, 542 – República – São Paulo/SP

 

São Paulo pelas lentes e artes de Alex Richard Martins, Bia Ferrer,   Carolina Paes, Carolina Rolim, Charles Roberto Silva, Daisy Serena, Felipe Maciel Delgado, Fernando Eleutério, João Henrique Abreu, Julio Cesar Fernandes, Lia Testa, Lucy Franco, Luiz Leite, Marcos Gonçalves, Mário Filhou José, Marlos Barros, Octavio Weber Neto, Pablo Villavicencio, Pacx Sampaio, Priscila Xavier, Rogerio Bessa Gonçalves, Soraya Idehama, Tatiana Perdigão, Tato Souza, Vanderson Satiro, Wagner Merije e Wellington Kiko Cesar

 

Aqui temos uma belíssima coleção de imagens da cidade de São Paulo. São 27 visões diferentes a provar que a beleza existe e persiste em vários ângulos. Um convite à fruição estética e a uma viagem ao coração de uma das maiores cidades da história da humanidade.

“O livro São Paulo em imagens surgiu da vontade de trazer à tona diversas representações da cidade pelos olhares daqueles que procuram manter uma relação viva e amorosa com sua paisagem urbana, que se deixam invadir cotidianamente pelo ritmo frenético e muitas vezes caótico da vida que pulsa forte. A beleza das imagens compartilhadas nos transportaram para dentro da cena, que atraíram nosso olhar distraído para os detalhes nunca antes percebidos. Assim, a cidade, sua arquitetura, seus personagens e seus detalhes, se tornaram ainda mais presentes, encantadores, impactantes para todos nós. Talvez a maior riqueza deixada por esse encontro de fotógrafos seja a importância de afirmarmos a diversidade existente nas ruas, as inúmeras possibilidades de olhar, ler e interpretar a vida e a dinâmica urbana de forma criativa e subversiva, reconstruindo assim uma nova cidade a cada momento, registrada a cada olhar sensível e atento”, contam os organizadores da obra, Lucy Franco e Wagner Merije

O prefácio é assinado pelo VJ e músico Spetto, e o posfácio pelo poeta e ator Emerson Alcalde, do “Slam da Guilhermina”.

 

Por dentro de Sampa

 

“Todos as/os autoras/es aqui apresentadas/os, 27 na soma, demonstram diariamente compromisso e amor pela capital paulista, o que não parece excluir as tantas vezes em que a cidade assusta, afasta, provoca uma vontade imensa de ir embora e nunca mais voltar. Mas a vida segue, com a fumaça tóxica dos ônibus, o barulho constante e estridente, o colorido dos grafites que provocam muita reflexão, os ‘pixos’ nos locais mais improváveis, que gritam e resistem como denúncia viva… Isso é Sampa!”, complementam os organizadores.

É nesse momento que vivemos hoje, que o livro São Paulo em Imagens vem para revelar apenas mais uma possibilidade de interpretação de certa cidade que está aí, a cidade viva, que acolhe, que sangra e que está incorporada na singularidade de milhões de olhares, no coração de cada um, com suas particularidades e contradições.

A fotografia é revelação e mistério, e muito já se falou sobre esta arte de duzentos anos. No entanto, quando nos deparamos com imagens tão belas e enigmáticas como essas nesse livro, percebemos que muito temos a refletir sobre o que as lentes captam. Henri Cartier-Bresson uma vez disse: “Fotografar, é colocar na mesma linha, a cabeça, o olho e o coração.” E muito mais! “O olho do homem serve de fotografia ao invisível, como o ouvido serve de eco ao silêncio.”, escreveu Machado de Assis.

Este é um novo painel de uma cidade tantas vezes fotografada e, aparentemente, tão pouco conhecida, por ter muito a nos dizer em imagens e lembranças. Instantes únicos aqui se revelam nesse álbum fantástico, dando forma eterna ao tempo e ao modo de ver a cidade por quem nela vive e se veste de luzes e sombras.

Então, gostaríamos de convocar a todos para continuar olhando e vendo essa  cidade única e ao mesmo tempo múltipla, de maneira generosa, a cada dia, como se fosse sempre o primeiro…

 

SERVIÇO

Título: São Paulo em imagens

Autores: 27 fotógrafos/as

Editora: Aquarela Brasileira Livros

Gênero: Fotografia

Formato: 14 x 21 cm

Número de páginas: 176

ISBN: 978-85-92552-08-4

Preço: R$ 35,00

Web: www.aquarelabrasileira.com.br/sao-paulo-em-imagens

Encomendas: faleaquarela@gmail.com

 

Aquarela Brasileira Livros

Livros são Incríveis! A gente ama!

Aquarela Brasileira Livros é uma editora contemporânea, criativa e ousada. Trabalhamos com autores que amam escrever e também com quem tem histórias incríveis para contar.

www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros

www.facebook.com/aquarelabrasileira

faleaquarela@gmail.com

Penas, Fluidos e Bisturis, livro multimedia coletivo

08 jan

Penas Fluídos e Bisturis

 

No dia 16 de janeiro de 2018 o espaço literário mais icônico da avenida Paulista, a Casa das Rosas, recebe o lançamento do livro Penas, Fluidos e Bisturis, organizado por Rogerio Bessa Gonçalves e realizado em co-autoria com Daniel Arruda, Gabriel Stroka Ceballos, Leo Mackellene, Luís Fernando Pereira, Marcos Maia, Pedro Hutsch Balboni, R. M. Trevisan, Renato Zapata, Ricardo Kelmer, Tati Filinto, Thiago Romaro e Wagner Merije.

“Da imagem ao texto e não o seu contrário. Esse foi o convite do artista plástico Rogerio Bessa Gonçalves a doze autores. Treze imagens, mais uma, resultaram num livro-diálogo entre áreas acostumadas, dentro do universo literário, com o movimento inverso: ilustração pensada a partir da palavra escrita. Aqui, os autores produziram contos e poesias inspirados nos trabalhos com técnica de carvão, aguada de café e aquarela.”

Wagner Merije participa com os contos “Cão de guerra” e “O dia em que Patricia fez uma revelação”.

Uma realização do Coletivo Supernova.

Preço do livro: R$ 35,00
(serão aceitos cartões de débito e crédito das bandeiras Visa, Mastercard e Elo)

As ilustrações emolduradas estarão à venda por R$ 350,00 acompanhadas de um exemplar do livro.

Esperamos todos por lá!!

Maturidade espiritual

04 jan

Jalāl ad-Dīn Muhammad Balkhī, mais conhecido como Rumi, mestre espiritual Persa do século Xlll quando lhe perguntaram – O que é Maturidade Espiritual?

Ele respondeu com este lindo texto/poema

Leitura: Silvio Matos

Cia do Tijolo na Estação da Luz

02 jan

Meu poema canta na estação

meu poema extrai voz do coração

meu poema canta, pois que cante

canta porque são poetas os que cantam na estação da luz

Os cantores chegam e é outra estação

é hora de começar

e abrir bem o coração

e atravessar o chão encerado da estação da luz

Um cantar que desperte o vizinho

que seja tão bom como carinho

capaz de despertar as trevas do coração

quando o poema e os poetas cruzarem a estação da luz

Somos nós, vejam só

nós que estamos ali

nós que somos muitos e somos um

como gente comum na estação da luz

É hora de começar

e nós nem ainda sabemos o que é

desperta, con-venha

que não é pouco o tijolo cantar na estação da luz

Viva a Arte! Viva a resistência!

Viva a arte! Abaixo a violência!

E tudo é diferente

e parece bonito

os vagões vão respirando

e os corredores apertados também respiram na estação da luz

A gente quer voz ativa

a gente quer cantar o nosso destino

a saída é roda viva

é poesia e grito saindo do coração na estação da luz

Um poema em elaboração de Wagner Merije

Cia do Tijolo na Estação da Luz

TAO – a sabedoria do silêncio interno

30 dez

Pense no que vai dizer antes de abrir a boca. Seja breve e preciso, já que cada vez que deixa sair uma palavra, deixa sair uma parte do seu Chi (energia). Assim, aprenderá a desenvolver a arte de falar sem perder energia.

Nunca faça promessas que não possa cumprir. Não se queixe, nem utilize palavras que projetem imagens negativas, porque se reproduzirá ao seu redor tudo o que tenha fabricado com as suas palavras carregadas de Chi.

Se não tem nada de bom, verdadeiro e útil a dizer, é melhor não dizer nada. Aprenda a ser como um espelho: observe e reflita a energia. O Universo é o melhor exemplo de um espelho que a natureza nos deu, porque aceita, sem condições, os nossos pensamentos, emoções, palavras e ações, e envia-nos o reflexo da nossa própria energia através das diferentes circunstâncias que se apresentam nas nossas vidas.

Se se identifica com o êxito, terá êxito. Se se identifica com o fracasso, terá fracasso. Assim, podemos observar que as circunstâncias que vivemos são simplesmente manifestações externas do conteúdo da nossa conversa interna. Aprenda a ser como o universo, escutando e refletindo a energia sem emoções densas e sem preconceitos.

Porque, sendo como um espelho, com o poder mental tranquilo e em silêncio, sem lhe dar oportunidade de se impor com as suas opiniões pessoais, e evitando reações emocionais excessivas, tem oportunidade de uma comunicação sincera e fluída.

Não se dê demasiada importância, e seja humilde, pois quanto mais se mostra superior, inteligente e prepotente, mais se torna prisioneiro da sua própria imagem e vive num mundo de tensão e ilusões. Seja discreto, preserve a sua vida íntima. Desta forma libertar-se-á da opinião dos outros e terá uma vida tranquila e benevolente invisível, misteriosa, indefinível, insondável como o TAO.

Não entre em competição com os demais, a terra que nos nutre dá-nos o necessário. Ajude o próximo a perceber as suas próprias virtudes e qualidades, a brilhar. O espírito competitivo faz com que o ego cresça e, inevitavelmente, crie conflitos. Tenha confiança em si mesmo. Preserve a sua paz interior, evitando entrar na provação e nas trapaças dos outros. Não se comprometa facilmente, agindo de maneira precipitada, sem ter consciência profunda da situação.

Tenha um momento de silêncio interno para considerar tudo que se apresenta e só então tome uma decisão. Assim desenvolverá a confiança em si mesmo e a Sabedoria. Se realmente há algo que não sabe, ou para que não tenha resposta, aceite o fato. Não saber é muito incómodo para o ego, porque ele gosta de saber tudo, ter sempre razão e dar a sua opinião muito pessoal. Mas, na realidade, o ego nada sabe, simplesmente faz acreditar que sabe.

Evite julgar ou criticar. O TAO é imparcial nos seus juízos: não critica ninguém, tem uma compaixão infinita e não conhece a dualidade. Cada vez que julga alguém, a única coisa que faz é expressar a sua opinião pessoal, e isso é uma perda de energia, é puro ruído. Julgar é uma maneira de esconder as nossas próprias fraquezas.

O Sábio tolera tudo sem dizer uma palavra. Tudo o que o incomoda nos outros é uma projeção do que não venceu em si mesmo. Deixe que cada um resolva os seus problemas e concentre a sua energia na sua própria vida. Ocupe-se de si mesmo, não se defenda. Quando tenta defender-se, está a dar demasiada importância às palavras dos outros, a dar mais força à agressão deles.

Se aceita não se defender, mostra que as opiniões dos demais não o afetam, que são simplesmente opiniões, e que não necessita de os convencer para ser feliz. O seu silêncio interno torna-o impassível. Faça uso regular do silêncio para educar o seu ego, que tem o mau costume de falar o tempo todo.

Pratique a arte de não falar. Tome algumas horas para se abster de falar. Este é um exercício excelente para conhecer e aprender o universo do TAO ilimitado, em vez de tentar explicar o que é o TAO. Progressivamente desenvolverá a arte de falar sem falar, e a sua verdadeira natureza interna substituirá a sua personalidade artificial, deixando aparecer a luz do seu coração e o poder da sabedoria do silêncio.

Graças a essa força, atrairá para si tudo o que necessita para a sua própria realização e completa libertação. Porém, tem que ter cuidado para que o ego não se infiltre… O Poder permanece quando o ego se mantém tranquilo e em silêncio. Se o ego se impõe e abusa desse Poder, este converter-se-á num veneno, que o envenenará rapidamente.

Fique em silêncio, cultive o seu próprio poder interno. Respeite a vida de tudo o que existe no mundo. Não force, manipule ou controle o próximo. Converta-se no seu próprio Mestre e deixe os demais serem o que têm a capacidade de ser. Por outras palavras, viva seguindo a via sagrada do TAO.

 

___

Publicado originalmente: Portal do Budismo

tao

Lion Merije

Lion Merije

Na exposição do Augusto de Campos no Sesc Pompéia

Videografia do Merije

27 dez

Merije_Van_1

CONHEÇA A VIDEOGRAFIA DO MERIJE

GET TO KNOW MERIJE’S VIDEOGRAPHY

Formado em Comunicação Social, com cursos de especialização na área audiovisual, Wagner Merije também se expressa através das imagens em movimento, criando trabalhos poéticos e marcantes.

Conheça alguns trabalhos do roteirista, câmera e diretor

Wagner Merije

– “Ontem” – Artista: Van – musicvideo – roteiro, câmera, direção(2015)

– “Cada um é parte do coletivo” – musicvideo – roteiro, câmera, direção(2013)

– “O futuro é de quem sonha” – musicvideo – roteiro (2013)

– “O Universo Musical de Raul de Souza” – direção artística – DVD-CD, Selo Sesc, 2012

– “Calor (Très chaud) – roteiro, câmera, direção (2012)

– “Peopleware” – videoclipe – roteiro, direção (2011)

– “Coragem” – videoclipe – roteiro, câmera, direção (2011)

– “Sweet São Paulo” – videoclipe – roteiro, direção (2010/2011)

– “Dragão do Mar: filme-música” – mini-doc. mobile, – roteiro, câmera, direção (2011)

– “Mob Revolution” – videomobile, roteiro, câmera, direção (2010)

– “Metrópolis Ano Mil” – videomobile, roteiro, câmera, direção mobile (2010)

– “Deus criou o beat” – videoclipe – produção (2010)

– “Beyond Ipanema” – Doc., longa – composição musical (2009)

– “Rap Babel” – videomobile – roteiro, câmera, direção (2009)

– “Coletivo Universal ao vivo na Paulista” – Rumos Itaú Cultural – DVD – roteiro, produção, composições, interpretação (2008-2010)

– “Marku ao Vivo” – DVD – Itaú Cultural – roteiro, produção (2008)

– “Mil Maravilhas” – videoclipe – roteiro, produção, co-direção (2005)

– “Sambampler” – videoclipe – roteiro, produção, co-direção (2005)

… …

DEUS CRIOU O BEAT (GOD CREATED THE BEAT)

SWEET SÃO PAULO

CADA UM É PARTE DO COLETIVO (EACH ONE IS PART OF THE COLLECTIVE)

O FUTURO É DE QUEM SONHA (FUTURE BELONGS TO DREAMERS)

CALOR (TRÈS CHAUD)

PEOPLEWARE

CORAGEM (BRAVERY)

MIL MARAVILHAS (THOUSAND WONDERS)

BEYOND IPANEMA

… …

… …

O universo musical de Raul de Souza_capa

………..
Poster_MVMob_final sem marcas

DVD Feito durante o dia

DVD Feito durante o dia

coragem

Os elefantes e as borboletas

11 dez

 

É pesada a vida?

E o que pensam o elefante e a elefanta?

É que o temos, o que somos!

É preciso caminhar com leveza

cumprindo os caminhos da natureza

que é a essência daquilo que chamamos partilhar.

No caminho contrário vão seguindo os que tudo querem e nada têm

os que tudo agarram mas nada detém

os que enxergam pelo lado oposto das imagens reais

pesados de medo, pesados de fúria, pesadas patas a marcar a Terra

sem carinho ou boas lembranças.

Lá vai o elefante e nele enxergam sofrimento ou esperança!

Lá vamos nós:

como borboletas a flutuar sobre sua pele dura e macia.

Carregamos paz e companhia!

 

(Um poema em construção de Wagner Merije)

 

O elefante e a prosperidade

Belo Horizonte na literatura do seu passado

08 dez
Captura de tela 2018-01-22 às 13.43.46
Letícia Malard é professora emérita da Universidade Federal de Minas Gerais. Entre seus livros destacam-se Literatura e dissidência política (ensaios) e Divina dama (romance).
 
No artigo “Belo Horizonte na literatura do seu passado” ela cita um poema de Wagner Merije (Poema para Belo Horizonte, do livro Viagem a Minas Gerais, de 2013) E na companhia deste poeta menor estão nomes de grande valor,Belo Horizonte na literatura do seu passado – Caderno Pensar do Jornal Estado de Minas como Pedro Nava, Avelino Fóscolo, Carlos Drummond de Andrade, Henriqueta Lisboa, Cely Vilhena, Ardel Delly, Cyro dos Anjos, Eduardo Frieiro, Fernando Sabino, Rui Mourão.
 
4. Janelas da memória
Pedro Nava (1903-1984) publica em 1979 Beira-mar, memórias de sua época belo-horizontina. Muitos estranham o título, pois não temos mar. No entanto, é o poeta Wagner Merije que bem interpreta a questão, no Poema para Belo Horizonte, do livro Viagem a Minas Gerais (2013):“Não temosE a falta nos faz muita faltaComo o mar!Oh palavra mágica e irmã do horizonte!!!”

 Vale a pena a leitura, é um primor.
 

Pequena Casa de Lembranças

20 nov

Pequena casa de lembranças é uma representação do universo infantil por meio da memória e das lembranças de crianças. Representadas por objetos pessoais (roupas, calçados, brinquedos, desenhos, fotografias e outros pertences) essas memórias e lembranças re-vestem uma pequena casa de brinquedo. A casa e os objetos evocam casas e objetos deixados para trás por crianças que mudam de casa para cidades e países diferentes. Mundos muitas vezes apartados. E o que fica para trás tem sempre muito para contar.

Uma representação lúdica que procura trazer uma chama de vida para adultos e crianças, quer tenha passado por situação parecida ou não.. Um reencontro com o passado, um chamado para o presente, um entrelaçamento de vidas e histórias para discutir a representação de memória, de casa, de pertencimento e de obsolescências emocionais e materiais. Uma síntese de três casas – casa-universo particular, casa-corpo, casa-mundo.

Em Coimbra, encontramos muitas crianças em trânsito com pais e parentes pesquisadores e moradores temporários, de onde veio a inspiração.

Imagens e textos adicionais em www.merije.com.br/blog/diario/pequena-casa-de-lembrancas

 

Pequena Casa de Lembranças_pesquisa_20171113_120403

 

Utopias e transformações

01 nov

Pelas utopias e transformações possíveis
pela desordem e pelo caos o novo virá

Brasil, mundo, reflitamos! Por esse caminho vamos chegar bem perto do fundo do poço… É preciso repensar a direção da humaninade…
Reflexões que acompanham esse trabalho que vos apresento (novamente) a seguir, uma parceira de Wagner Merije, Fábio Crânio e George Neri.

 

A sociedade na encruzilhada tem dificuldade de saber para onde seguir. A natureza se rebela. A política apodrece. Novas tecnologias surgem e revolucionam a comunicação. É hora de promover a transição de um ser receptor passivo de conteúdos para um produtor de conhecimento. Hardware. Software. PEOPLEWARE.

4º Musicvideo do/from album “Peopleware”
Roteiro e Direção/Screenplay & Direction: Merije
Montagem e finalização/Editing: George Neri
Grafittis & images: Crânio

Letra/Lyrics:

Quem é que fala pelos independentes?
Quem é que representa as minorias?
Quem é que resolve pela gente?
Pra deixar tanta gente de mãos vazias?

Quem é que fala pelos que não têm um puto?
Quem é que festeja o Produto Interno Bruto?
Quem é que acredita e se articula?
Quem é que investe em educação e cultura?

Tem gente que empreende
Tem gente que surpreende
Tem gente que está passos à frente
E não se rende!

Tem gente que faz diferença
Tem gente que usa a intuição
Tem gente que inventa
Tem gente que é evolução

Se você não está dando o melhor de si neste mundo,
Para que mundo está se guardando?

PEOPLEWARE
EN CADA BARRÍO REVOLUCION

Quem somos se não somos úteis para os outros?
Quem somos, se somamos tão pouco?
Quem é que fomos, se sonhamos como loucos?
Quem somos se não somos importantes para o outro?

Quem é que fala pelos independentes?
Quem é que representa as minorias?
Quem é que resolve pela gente?
Pra deixar tanta gente de mãos vazias?

Tem gente que faz diferença
Tem gente que usa a intuição
Tem gente que inventa
Tem gente que é evolução

Se você não está dando o melhor de si neste mundo,
Para que mundo está se guardando?

PEOPLEWARE
EN CADA BARRÍO REVOLUCION

Quem somos se não somos úteis para os outros?
Quem somos, se somamos tão pouco?
Quem é que fomos, se sonhamos como loucos?
Quem somos se não somos importantes para o outro?

PEOPLEWARE, PEOPLEWARE
EN CADA BARRÍO REVOLUCION